Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Voluntariado é importante aliado da coesão social
05-12-2018

No dia em que se comemora o Dia Internacional do Voluntariado, a Câmara do Porto promove um fórum sobre as mudanças e desafios do trabalho voluntário. Na sessão de abertura, Rui Moreira destacou que "o voluntariado exerce um papel essencial no reforço da coesão social da cidade" e que a solidariedade é uma das principais características da identidade portuense.


O Município do Porto está consciente da dimensão do voluntariado na sociedade e da importância que assume no quotidiano das instituições e dos cidadãos e, por esse motivo, pretende reforçar a sua intervenção nesta área, para adequar-se aos novos modelos e contextos de gestão do trabalho voluntário. Foi esta a principal mensagem que o presidente da Câmara do Porto deixou aos participantes do fórum "Mudanças e Desafios no Voluntariado", que decorre durante esta quarta-feira, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett.


Numa lógica de partilha de conhecimento e de experiências, o fórum conta com a participação de entidades promotoras de ações de voluntariado e de testemunhos individuais de voluntários. A todos eles, Rui Moreira deixou uma palavra de agradecimento: "com a vossa dedicação, esforço e empenho, têm ajudado a melhorar a vida daqueles que se encontram em situações de maior vulnerabilidade".


Atento à situação social da cidade, o autarca recordou que, há cinco anos, quando se candidatou pela primeira vez à Câmara do Porto, conhecia bem "a realidade da pobreza e exclusão". Razão bastante para ter definido como uma das três prioridades de ação do Executivo municipal a coesão social.


"Queremos um Porto em que todos tenham lugar e em que todos sintam que tenham lugar", disse Rui Moreira, que ressalvou a solidariedade como "um dos valores mais intimamente ligados à identidade portuense".


Nesse contexto, explicitou, foram criados os necessários apoios municipais e foi reforçada a rede social. O objetivo final passa por "desenvolver e potenciar o trabalho em parceria com a rica realidade das instituições, associações e voluntários", referiu o edil.


Sublinhando que o voluntariado "é a verdadeira escola de cidadania, complemento à formação académica, não só pelos princípios e valores que difunde, mas também pelas competências sociais e técnicas que confere", Rui Moreira concluiu que é exigido à rede social e ao Município um apoio inequívoco nesta matéria.




Estratégia municipal de promoção do voluntariado


Ao vereador Fernando Paulo, responsável pelo pelouro da Habitação e da Coesão Social, coube apresentar, em linhas gerais, o papel que o Município do Porto tem assumido na promoção do voluntariado.


Para Fernando Paulo, há dois vetores que tornam as autarquias "entidades particularmente importantes na dinamização, promoção e organização do serviço local de voluntariado": a proximidade e o conhecimento mais aprofundado das realidades locais.


Atribuída essa importância, a Câmara do Porto dispõe de um Serviço Municipal de Apoio ao Voluntariado (SMAV), hoje integrado no Pelouro da Coesão Social. Entre as várias atividades de formação que promove, também pretende ser "espaço de encontro entre pessoas que expressam a sua vontade em ser voluntários e entidades que reúnam condições para integrar voluntários e coordenar o exercício dessa atividade".


Já a rede social, onde estão representadas "mais de 100 entidades promotoras de voluntariado", bem como o Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo (NPISA) - constituído por 57 instituições e desde fevereiro de 2018 coordenado pela Câmara do Porto - entre outros parceiros, são os "braços fortes" desta estratégia no terreno.


Tal como Rui Moreira, também Fernando Paulo sublinhou o contributo do voluntariado para a coesão social da cidade. Nessa medida, mais do que nunca é preciso "formação e qualificação" do trabalho voluntário. O Município tem feito esse caminho, adiantou, e entre 2017 e 2018 realizou já nove formações, que contaram com mais de 300 participantes.


O SMAV dispõe ainda de uma plataforma onde entidades e voluntários a título individual se podem inscrever. Numa cidade que tem "um ecossistema rico em organizações do terceiro setor", que atuam em domínios, contextos e segmentos etários diferenciados, o Serviço Municipal de Apoio ao Voluntariado oferece ainda respostas integradas ao nível do apoio a projetos e promoção de fóruns e debates sobre os novos modelos de gestão de voluntariado.


A operacionalização da estratégia conta com o suporte do Projeto VOHAR - Voluntariado Organizado para uma Ação Humanitária de Referência, implementado em 14 municípios da Área Metropolitana do Porto.