Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Vivarium Festival junta arte, pensamento e tecnologia e lança debate filosófico
26-02-2020
A frase do poeta francês do século XIX Rimbaud "Je est un autre" ("eu é um outro") dá o mote à conferência que, juntamente com exposições, performances e concertos, fará a 3.ª edição do Vivarium Festival, de 26 a 28 de março.

O festival de artes performativas, pensamento e tecnologia vai ocupar quatro espaços da cidade (Maus Hábitos, Passos Manuel, Armazém 22 e Reitoria da Universidade do Porto) para relançar a reflexão sobre a influência da tecnologia nas artes e no ser humano, ao longo de três dias de intensa programação.

Um dos eventos fortes será a conferência "Je est un autre, instintos e instituições na era da tecnologia", que toma assim por tema a frase de Rimbaud que, numa carta ao também poeta Paul Demeny, descutiu o paradoxo do "eu" e do "outro" no sentido de poder alguém ser outro que não o próprio do ponto de vista da criação artística. na sua perspetiva, a o artista não é dono da sua criação na medida em que é ela que se cria a si própria sob o olhar do artista mas independentemente dele.

A conferência do Vivarium terá como oradores o artista visual francês Laurent Goldring, a investigadora na área da Filosofia Ana Falcato, o professor catedrático Ernesto Costa, o artista Leonel Moura e o juiz Alexandre Oliveira.

Entretanto, estão previstas exposições do norte-americano Mark America, do francês Laurent Goldring e do português Tiago Rorke, em colaboração com o projeto colaborativo MILL - Makers in little Lisbon.

Na vertente musical, o programa inclui espetáculos da multi-instrumentista norte-americana Kelly Moran, do projeto britânico Lil Data, dos portugueses Osso Vaidoso e a dupla Telectu. Haverá ainda atuações da performer e digipoetisa Yatta (originária da Serra Leoa e radicada nos Estados Unidos), do francês Franck Vigroux da bailarina e coreógrafa eslovaca Eva Klimackova, de Laurent Goldring e do bailarino e coreógrafo português Gustavo Monteiro.