Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Teatro Nacional São João recebe antestreia do filme O Ano da Morte de Ricardo Reis neste domingo
18-09-2020

Neste domingo, dia 20 de setembro, o Teatro Nacional São João apresenta a antestreia do filme O Ano da Morte de Ricardo Reis, uma adaptação do cineasta João Botelho à obra de Saramago. A sessão conta com a presença de Pilar del Rio e do elenco do filme.


O Teatro Nacional São João (TNSJ) vai ser o primeiro espaço a exibir O Ano da Morte de Ricardo Reis, o mais recente filme do cineasta João Botelho. Concebida a partir da obra homónima de José Saramago, a longa-metragem tem antestreia marcada para o dia 20 de setembro, às 21 horas, e exalta o encontro peculiar entre o escritor Fernando Pessoa e um dos seus heterónimos: Ricardo Reis.

Fernando Pessoa, Almeida Garrett, Eça de Queirós, Agustina Bessa-Luís ou Fernão Mendes Pinto são alguns dos autores de referência da literatura portuguesa que João Botelho já adaptou para o cinema - agora, chegou a vez do Prémio Nobel de Literatura de 1998, José Saramago, se juntar ao leque.

Nesta sessão, estarão presentes a jornalista espanhola Pilar del Río, antiga esposa do já falecido escritor, assim como os atores que compõem o elenco do filme.

Aliando a imaginação de Fernando Pessoa e a ousadia de Saramago, o filme vai transportar o público até ao ano de 1936, uma época assinalada por extremos políticos: o fascismo de Mussolini e o nazismo de Hitler, o Estado Novo de Salazar e o deflagrar da Guerra Civil Espanhola.

Nesse ano tão demarcado, Pessoa, interpretado por Luís Lima Barreto, e Ricardo Reis, vestido por Chico Diaz, são dois "observadores", aos quais se juntam duas mulheres: Lídia, papel desempenhado por Catarina Wallenstein, e Marcenda, personagem de Victoria Guerra.

De forma a ser fielmente representativo do romance, o cineasta optou por filmar a preto e branco, deixando para o final "uma explosão de cores" que irá transportar o espetador para os tempos contemporâneos. Para João Botelho, O Ano da Morte de Ricardo Reis é "a luta contra o esquecimento, a afirmação da necessidade da leitura".

Com produção da Ar de Filmes e coprodução da Fundação José Saramago, o filme vai ainda apresentar-se no Centro Cultural de Belém (CCB), nos dias 22 e 23 de setembro, ficando depois disponível nas salas de cinema nacionais. O preço do bilhete tem o custo de 6 euros.