Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto está a assinalar os 90 anos do poeta e ensaísta Fernando Guimarães
08-01-2019
"Conheço as suas raízes: nos 90 anos de Fernando Guimarães" é o nome da exposição biobibliográfica com que o Município do Porto está a homenagear o autor portuense e a sua obra.

A mostra assinala na Biblioteca Municipal Almeida Garrett, nos Jardins do Palácio de Cristal, a carreira do poeta, tradutor, crítico e ensaísta, que colaborou com diversos jornais e revistas, nomeadamente "O Comércio do Porto", "Jornal de Letras", "Árvore", "Bandarra", entre outras. Foi professor do ensino secundário, investigador do Centro de Literatura da Universidade do Porto e do Centro de Estudos do Pensamento Português da Universidade Católica Portuguesa, tendo-lhe sido atribuídos vários prémios.

O nome da exposição vem do primeiro verso do seu poema "Árvore". Como refere o coordenador, o bibliotecário Luís Cabral, que foi diretor da Biblioteca Pública Municipal do Porto, a vida e a obra de Fernando Guimarães têm naquele local o melhor enquadramento, começando desde logo pelo acesso através da alameda "onde, ano a ano e tília a tília, vão sendo inscritos os nomes de autores do Porto do nosso tempo - Vasco Graça Moura, Agustina Bessa-Luís, Mário Cláudio, Sophia de Mello Breyner Andresen, José Mário Branco...". E, prossegue, "ali moram também memórias do século XIX", como Camilo, Eça, Oliveira Martins, Antero, Ramalho ou Junqueiro, a par do poeta António Nobre, além de a Biblioteca ter o nome de Garrett, "também ele escritor, também ele do Porto".

O percurso dedicado a Fernando Guimarães, nos seus noventa anos, abre com um retrato do poeta por Flor Campino, seguido de algumas cartas suas para Eugénio de Andrade, em que agradece livros, em que mostra a sensibilidade diante da poesia do outro.

Agrupam-se em cinco conjuntos as obras que ali se dão a ver e a ler:

I - Dos Manuscritos, que reúne alguma correspondência e autógrafos de Fernando Guimarães, Eugénio de Andrade, António Ramos Rosa, Cruzeiro Seixas, Eduardo Lourenço, Herberto Helder e Vitorino Nemésio;

II - Da Poesia, onde se apresenta o primeiro livro de poemas, "A face junto ao vento" (1956), e o mais recente, "O homem, o sagrado e a arte" (2018), a par de vários outros;

III - Da Tradução, em que o tradutor-poeta, às vezes em colaboração com sua mulher, Maria de Lourdes Guimarães, transmite os textos de outros poetas, num ofício de rigor: Byron, Shelley, Keats, Dylan Thomas, D.H. Lawrence, Walt Whitman, Elaine Feinstein, Virginia Woolf;

IV - Do Ensaio, que apresenta desde o seu primeiro ensaio, "O problema da expressão poética" (1959), até ao mais recente livro, "O homem, o sagrado e a arte" (2018);

V - Das Revistas Literárias, com destaque para a revista "Eros" (1951-1958) que codirigiu e onde publicou diversos textos, participando também com alguns desenhos incluídos nesta mostra.

Fernando Oliveira Guimarães nasceu no Porto em 3 de fevereiro de 1928. Licenciado em Ciências Histórico-Filosóficas pela Universidade de Coimbra, foi professor do ensino secundário, investigador do Centro de Literatura da Universidade do Porto e do Centro de Estudos do Pensamento Português da Universidade Católica Portuguesa, além da sua atividade como poeta, tradutor, ensaísta, crítico e organizador de antologias.

Foi distinguido com: Prémio General Casimiro Dantas, Academia das Ciências de Lisboa (1971), Prémio D. Dinis (1985), Prémio Pen Clube Português (1988, 2008), Prémio Luís Miguel Nava (2003), Prémio de Ensaio Vergílio Ferreira (2006), Grande Prémio de Poesia APE (2007), Grande Prémio Teixeira de Pascoaes (2014). Além disso, têm- lhe sido dedicadas diferentes homenagens, entre as quais da 82.ª Feira do Livro do Porto (2012) e da Universidade Católica Portuguesa (2014).

//
Biblioteca Municipal Almeida Garrett
2.ª feira - 14h/18h
3.ª a sáb. - 10h/18h
Fecha aos domingos e feriados
Até 26 de janeiro
Entrada livre