Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Cultura em Expansão lança NAU! com o TEP ao leme
04-07-2018
Nau! é o novo projeto do TEP - Teatro Experimental do Porto que o programa municipal Cultura em Expansão lança no próximo sábado. É uma instalação que questiona o episódio histórico de Fernão de Magalhães através de performance, conferências e concertos, na Praia do Homem do Leme, na Foz, aos fins de semana entre 7 e 29 de julho.

Antecipando a comemoração dos 500 anos passados sobre a circum-navegação marítima por Fernão de Magalhães (1519), este projeto do TEP em coprodução com a Câmara do Porto vem lançar perguntas sobre esse episódio da História. Questiona, desde logo, o facto de continuarmos a aceitar uma História escrita sobre os discursos dos outros: uma narrativa de glorificação, expansionista, colonialista, imperialista. E vai à procura do que terá ficado de fora desta historiografia.

Com direção artística e conceção de Gonçalo Amorim, NAU! é uma instalação que usa um contentor marítimo como simulacro, um dispositivo imersivo que procura, também, a emersão: o espectador intervém no espaço, trazendo à tona o avesso do discurso historiográfico da circum-navegação.

O exterior da instalação serve igualmente de espaço de encontro, de discussão e problematização públicas do colonialismo e da historiografia, convocando conferências e performances abertas a todos. NAU! procura, usando as palavras de Walter Benjamin, "escovar a história a contrapêlo".

De entrada livre, a instalação da NAU! estará patente entre as 11 e as 22 horas. As atividades paralelas, que acontecem das 19 às 21,30 horas, começam no sábado com o concerto do Grupo de Batuques Finka-Pé, que traz as memórias das viagens marítimas com o batuque - um dos géneros mais representativos do património musical da ilha de Santiago. O seu contexto habitual, em Cabo Verde, é o momento importante de convívio das comunidades. Festas religiosas, vésperas de casamentos ou batizados e a receção de personalidades importantes são algumas das ocasiões escolhidas para se fazerem batuques e, assim, através dos textos que cantam as mulheres, se exprimir admiração e louvor ou crítica e sátira sobre as pessoas e os acontecimentos.

Os temas de grande parte das cantigas interpretadas pelo Grupo Finka-Pé relacionam-se com a difícil condição feminina das suas componentes e com os problemas concretos com que elas têm que se defrontar no dia a dia da sua vida em Portugal.

No domingo, dia 8, a NAU! apresenta a conferência "Ver Com um Olho", de Elísio Macamo. O título é em referência ao grande poeta português, Luís de Camões. A apresentação usa a perda do olho direito como uma metáfora para problematizar o lado da expansão portuguesa que até há pouco merecia menos destaque nas perceções portuguesas do significado da sua própria história.  

A questão que a apresentação coloca, portanto, consiste em saber de que maneira certas coisas se furtaram ao olhar português e como a sua recuperação pode contribuir para uma reconciliação de Portugal com os valores usados como lentes na interpretação gloriosa do seu passado.