Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto entra na rede que acelera a economia circular
16-10-2019
A cidade do Porto já está formalmente na rede internacional de aceleração da economia circular, dando assim um importante passo no campo de combate contra as alterações climáticas e pela sustentabilidade ambiental.

A rede CE100, promovida pela Fundação Ellen McArthur, é um programa para estimular a economia circular através da partilha de conhecimento e cocriação entre organizações públicas e privadas, promovendo oportunidades para que se alcancem ambições circulares. Reúne grandes empresas, governos e cidades, instituições académicas, startups e outras instituições à escala global e dispõe de uma estrutura que atua através de simbioses para que os membros apliquem princípios circulares adaptados à realidade local.

A adesão formal do Município à plataforma global foi concretizada durante o workshop sobre economia circular realizado ontem no Porto Innovation Hub, no qual cerca de 50 organizações de âmbito local, regional e nacional debateram projetos a desenvolver com o objetivo de reduzir resíduos, tirar o máximo partido dos produtos, estimular uma agricultura regenerativa e desenhar produtos e serviços mais eficientes e sustentáveis do ponto de vista económico e ambiental.

No evento, em que foi também apresentado o Roadmap 2030 para a Economia Circular no Porto, o vice-presidente da Câmara e vereador com o pelouro da Inovação e Ambiente, Filipe Araújo, deu nota da grande importância da colaboração do Porto com a Fundação Ellen McArthur desde 2016, destacando em particular o estudo "Cities and circular economy for food".

Aquela fundação tem como missão principal acelerar a transição para uma economia circular, em contraponto à atual economia linear que desperdiça recursos naturais e gera resíduos, tendo a rede CE100 como um dos instrumentos mais importantes. 

Além da aplicação deste princípio à área alimentar, o Porto está também empenhado em estender o conceito de economia circular a setores tão importantes como a água ou a educação ambiental, tendo por objetivo tornar-se numa cidade da economia circular até 2030.