Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

InResidence atribui 6 novas bolsas de apoio a projetos de residência artística
05-07-2018
Depois da aprovação em reunião do executivo municipal na última terça-feira, a Câmara do Porto vai avançar com novas bolsas de apoio no âmbito do programa InResidence, que já no ano passado havia atribuído financiamento a seis projetos de residência artística. 

Circolando, mala voadora, Maus Hábitos, Sonoscopia, Escola das Artes da Universidade Católica e MIRA FORUM foram as instituições cujas propostas foram selecionadas para apoio pela autarquia.  

Os valores de financiamento serão diretamente atribuídos às instituições gestoras dos programas de residência, variando entre os 4000€ e os 6000€, consoante a origem do artista seja nacional, europeia ou de fora da Europa. As seis residências contemplam práticas artísticas diversas e têm a duração mínima de dois meses.

O artista brasileiro Pedro Vilela, diretor da TREMA! Plataforma de Teatro, desenvolverá na Circolando - estrutura de teatro/dança que no ano passado acolheu o projeto LOA - uma palestra-performance que analisa imagens e contradições em torno da história da colonização portuguesa.

O coreógrafo, bailarino e performer Guillem Mont e o cenógrafo e performer Palol e Jorge Dutor colaboram desde 2008. A dupla espanhola estará em residência artística durante os meses de setembro e outubro na mala voadora.

O Maus Hábitos acolhe a residência do artista plástico turco Volkan Diyaroglu, que terá início já durante o mês de julho. Segundo o artista, desde que a visitou pela primeira vez, a cidade do Porto deixou em si uma marca indelével pela sua "riqueza cultural, a sua estética, o seu modo de vida e o seu universo de criação artística".

A Sonoscopia, espaço onde confluem artistas relacionados com a música experimental, improvisada e eletroacústica, recebe em dezembro MSHR, coletivo composto por Birch Cooper e Brenna Murphy e cuja prática artística se desenvolve na interseção da escultura digital, do circuito analógico e da performance cerimonial.

O artista Nuno da Luz, que tem desenvolvido um trabalho guiado sobretudo pela utilização do som e pela ligação à ciência, estará em residência na Escola das Artes da Universidade Católica durante quatro meses. O artista trabalhará sobre a ideia de atmosfera, aproveitando a investigação científica existente na Universidade Católica sobre o tema.

Por último, o MIRA FORUM propõe uma residência artística que tem Campanhã como área de investigação/ação realizada por dois artistas internacionais: Alberto Feijoo e Christian Lagata. Na freguesia, farão o levantamento dos espaços em ruína, industriais e habitacionais, documentando-os através de fotografias e registos vídeo.

As bolsas InResidence estão integradas no PLÁKA, plataforma que consubstancia a política municipal de apoio à prática artística contemporânea no Porto. Saiba mais aqui.