Cultura

Um Objeto e seus Discursos visita a última obra do escultor Alberto Carneiro

A próxima sessão do ciclo realiza-se ao ar livre, na via pública, e vai admirar a última obra que o escultor Alberto Carneiro criou para a cidade do Porto.

"Três metáforas de árvores para uma árvore verdadeira" é o nome do conjunto escultórico implantado no Largo de São Domingos, local onde se realiza a sessão de Um Objeto e seus Discursos por Semana, no próximo sábado, a partir das 18 horas.

O conjunto escultórico integra três árvores estilizadas em granito - com cinco, seis e sete metros de altura - que estão acompanhadas por uma oliveira verdadeira, cuja sombra abriga a partir de agora quem passa por aquele largo, epicentro da cidade comercial e zona de passagem obrigatória a caminho da Ribeira.

O arquiteto paisagista Pedro Prazeres vai propor-nos dançar entre e com estas árvores, numa conversa de palavras, movimentos e sons, a meias com o engenheiro geotécnico Floriano Santos, membro da direção da Cooperativa dos Pedreiros, onde a obra foi produzida.

Lembrando a frase de Alberto Carneiro "Uma árvore é uma obra de arte quando recriada em si mesma como conceito para ser metáfora", esta sessão do ciclo municipal terá moderação pela historiadora da arte Catarina Rosendo, uma das principais conhecedoras da obra do escultor e deste conjunto em particular, já que acompanhou de perto a sua conceção.

Viúva do artista falecido no ano passado, Catarina Rosendo participa também na cerimónia de inauguração de "Três metáforas de árvores para uma árvore verdadeira", a realizar meia hora antes e que marca assim a integração de uma nova obra no Mapa de Arte Pública do Porto.

A participação na sessão de Um Objeto e seus Discursos por Semana tem o custo 2 euros e o bilhete pode ser adquirido online ou nos locais habituais, sendo a lotação de 90 lugares.