Cultura

"Um campo depois da colheita" de Alberto Carneiro renasce no Porto após 26 anos

A instalação de Alberto Carneiro "Um campo depois da colheita para deleite estético do nosso corpo" não era exposta há 26 anos e foi finalmente inaugurada na Culturgest Porto.

Composta de centeio e palha naturais, a exposição - com curadoria de Delfim Sardo - esteve dependente do ciclo da natureza e obrigou a reservar um campo que, em outubro passado, foi semeado de centeio.

"Um campo depois da colheita para deleite estético do nosso corpo" acabou por ser inaugurada só no passado fim de semana, no espaço da Culturgest, onde ficará até 1 de outubro próximo.

Esta instalação não era vista desde 1991 e insere-se num conjunto de três trabalhos de Alberto Carneiro, recentemente falecido: "O Canavial: memória-metamorfose de um corpo ausente" (1968), "Uma floresta para os teus sonhos" (1970) e "Um campo depois da colheita para deleite estético do nosso corpo" (1973-1976).

Culturgest Porto

De quarta-feira a domingo, das 12,30 às 19,30 horas 

Entrada gratuita