Sociedade

Três operadores já têm licença para partilhar trotinetas e bicicletas na via pública a partir de março

Já estão atribuídas as três licenças de utilização do espaço público para operadores de modelos de negócio que vão disponibilizar velocípedes ou equiparados, com ou sem motor, para uso público durante períodos de curta duração e sem necessidade de utilização de doca para parqueamento.

Está em causa, essencialmente, o aluguer de trotinetas e bicicletas para pequenas deslocações dentro da cidade, cujas respetivas licenças foram atribuídas - em hasta pública realizada hoje de manhã pela Câmara do Porto - aos operadores Bird, CircHive, todos eles já com experiência em cidades portuguesas.

Cada licença corresponde ao valor-base de licitação de 20 mil euros e tem a duração de cinco anos, estimando-se que aqueles modos suaves de transporte entrem em funcionamento no Porto já a partir do mês de março, o que representa mais um importante passo na estratégia de promoção de meios de transporte não poluentes na cidade e, ao mesmo tempo, de melhoria da mobilidade.

Titulada pelo respetivo alvará, cada licença contempla um número máximo de 700 veículos, com a possibilidade de ampliação para 900 veículos.

A localização de pontos de partilha é a definida pelo Município do Porto e será disponibilizada e permanentemente atualizada no site institucional do Município, onde podem ser consultados o mapa interativo e a informação associada.

Recorde-se que estes serviços estão sujeitos a um regulamento que foi aprovado pela Assembleia Municipal na sequência das propostas do Executivo Camarário, em outubro último.