Mobilidade

Transporte em táxi para os locais da vacinação disponível a todos os munícipes a partir de terça-feira

  • Isabel Moreira da Silva

  • Notícia

    Notícia

#fib_taxi_protecao_covid_01.jpg

Porto.

A partir desta terça-feira, dia 9 de março, o Município do Porto apoia o transporte em táxi de e para os locais de vacinação contra a Covid-19, depois de fechado o acordo de colaboração com as duas centrais de táxis da cidade. O custo por deslocação é de apenas 2 euros.

O acordo estabelecido pelo município com a Raditáxis e com a Táxis Invicta, as duas únicas centrais de táxi da cidade que representam, em conjunto, 691 das 699 licenças de táxi atribuídas no Porto, vai permitir a todos os munícipes que optem por este transporte uma deslocação até aos centros de vacinação por um custo muito reduzido.

Por apenas 2 euros, o munícipe pode requerer um táxi, que assegurará o trajeto de ida, podendo ainda fazer-se acompanhar por um familiar ou pessoa amiga. Caso pretenda realizar o percurso ida e volta, o mesmo tem um custo total de 4 euros. Tendo em conta que o custo médio de uma deslocação em táxi é superior a um bilhete ocasional adquirido a bordo de um autocarro, cujo preço atual é de, precisamente, 2 euros, esta fórmula permite efetivamente garantir uma solução de mobilidade rápida, cómoda e económica.

O serviço de transporte público em táxi tem ainda a vantagem de chegar a zonas não abrangidas pela rede de metro, autocarro ou de comboio, facilitando também a deslocação de população com limitações a nível da sua mobilidade, podendo ser previamente solicitado por via telefónica para uma central, através do número 939 955 263.

Por cada deslocação, o Município do Porto suportará o custo do transporte até ao valor máximo de 6 euros.

No acordo de colaboração, a autarquia sublinha também que o setor do táxi na cidade do Porto cumpre “uma função essencial de complemento ao transporte público pesado de passageiros”, contribuindo, enquanto tal, “para a alteração dos padrões de mobilidade da população, que se pretende cada mais vez mais assente na intermodalidade e na promoção de uma mobilidade sustentável”.

Fruto da pandemia, o setor sofreu uma quebra considerável na procura, existindo, por vezes, “uma falsa perceção de escassez de condições de segurança necessárias face ao contexto epidemiológico existente”, descreve o município, que entende ser também esta uma forma “dinamizar o setor do transporte em táxi, aumentando a sua atratividade”.