Sociedade

Terminal de Campanhã avança

A Câmara do Porto vota amanhã, em
reunião de Executivo a cedência de duas parcelas de terreno necessárias para a
construção do terminal intermodal de Campanhã por parte do Estado, o que vai
permitir à autarquia avançar brevemente com um concurso de concessão/construção.
Este é mais um importante passo para um projeto, anunciado por Rui Moreira em
junho de 2015, na sequência do Acordo do Porto, então assinado com Pedro Passos
Coelho e já assumido por António Costa.


 


A proposta a ser discutida e
votada amanhã prevê que a empresa pública Infraestruturas de Portugal ceda, em
subconcessão, duas parcelas de terreno devolutas, situadas junto à Estação
Ferroviária de Campanhã, ao passo que a Câmara se compromete à realização de
uma série de trabalhos em infraestruturas.


 


Segundo a proposta que deverá ser
naturalmente aprovada, a Câmara irá "concluir a obra de uma passagem pedonal
inferior da estação de Campanhã, fazer um conjunto de retificações necessárias
antes da execução dos acabamentos da mesma e concluir a entrada Norte/Poente,
garantindo uma entrada para o recinto de interface e permitindo autonomizar o
acesso ao Túnel/Passagem Pedonal Inferior sem passar pelos cais do metro", além
de construir o próprio terminal, considerado fundamental para a mobilidade da cidade
e para o desenvolvimento da freguesia de Campanhã.


 


A Câmara do Porto termina, assim,
uma fase importante deste processo que permitirá a concretização do terminal, o
que acontecerá de forma quase simultânea à execução do também municipal projeto
do Matadouro, igualmente em Campanhã.