Cultura

Teatro Municipal do Porto lança assinatura para seis espetáculos de dança

Marlene Monteiro Freitas, Companhia Nacional de Bailado (CNB) e Jérôme Bel são alguns dos destaques da programação do Teatro Municipal do Porto para os próximos meses, que terá na dança o alicerce de uma nova temporada desenhada por estreias e reagendamentos. O anúncio integral do programa do segundo semestre acontece a 8 de setembro, mas durante este mês já está disponível uma assinatura que dá acesso a seis espetáculos protagonizados por bailarinos, nacionais e internacionais, habituados a pisar os principais palcos do mundo.

O Teatro Municipal do Porto (TMP) retoma a sua atividade a 17 de setembro, seis meses depois da suspensão da programação devido à pandemia. Antes disso, anuncia publicamente a programação para a temporada 2020/2021, dia 8 de setembro, às 19 horas, no Grande Auditório do Teatro Rivoli.

A entrada será, como habitual, gratuita, mas devido ao atual contexto a sala vai estar limitada à lotação de 50%. Para contornar esta contingência, a apresentação ao vivo poderá ser acompanhada na rádio ou online.

"Retomar Ligação" é o sugestivo mote para a programação que se estende até ao início do próximo ano e, além das estreias e reagendamentos, integra remontagens e festivais.

Até 25 de setembro, está à venda a Assinatura 6 que dá entrada, pelo valor de 40 euros, ao conjunto de espetáculos de dança (OCD Love, Mal - Embriaguez Divina, For four walls + RainForest + Sounddance, Canzone per Ornella + Postcards from Vietnam, The show must go on, Chronicle + A Mesa Verde). Pode ser adquirida nas bilheteiras físicas do Teatro Rivoli e Teatro Campo Alegre (após reabertura dos equipamentos, temporariamente encerrados para férias) e na Bilheteira Online (BOL).

Destaques da programação

Alguns dos pontos altos da programação foram já anunciados. Nos dias 25 e 26 de setembro, sobe ao palco do Grande Auditório do Teatro Rivoli, em estreia nacional, o espetáculo "OCD Love", dos israelitas Sharon Eyal e Gai Behar - fundadores da companhia de dança L-E-V e responsáveis pela criação de um conjunto de obras aclamadas pela crítica internacional.

A 29 e 30 de outubro, o TMP apresenta a mais recente criação de Marlene Monteiro Freitas, "Mal - Embriaguez Divina", que integra um ciclo especial de programação dedicado ao trabalho da coreógrafa e bailarina. Para além dos espetáculos, a serem anunciados brevemente, neste ciclo de dez dias haverá ainda várias sessões de cinema, conferências e workshops, num programa com curadoria da investigadora e crítica Alexandra Balona.

Destaque, também, para dois momentos reprogramados na nova temporada: "For four walls", "RainForest" e "Sounddance", três peças que se inserem no programa apresentado pelo CCN - Ballet de Lorraine, em 2019, para assinalar o centenário de Merce Cunningham - uma das maiores figuras da história da dança moderna - que se realiza nos dias 13 e 14 de novembro no Grande Auditório do Rivoli; e ainda "Canzone per Ornella" e "Postcards from Vietnam", que marcam o regresso de Raimund Hoghe ao TMP. Com estes dois espetáculos, o coreógrafo alemão, que foi dramaturgo de Pina Bausch durante uma década, leva ao Rivoli, nos dias 14 e 16 de janeiro, a bailarina Ornella Ballestra - amplamente conhecida pelo seu trabalho com o coreógrafo suíço Maurice Béjart - e dois dos seus intérpretes de eleição, Takashi Ueno e Ji Hey Chung.

Fevereiro será um mês de programação intensa, com o TMP a acolher o espetáculo de culto "The show must go on" (12 e 13 de fevereiro), do coreógrafo francês Jérôme Bel, que se destaca pela sua veia política e provocadora. Duas décadas depois de estrear, a peça - que pode ser vista como uma playlist coreográfica - é remontada com 20 intérpretes locais (de Lisboa e do Porto) e coapresentada com a Culturgest (Lisboa) e Teatro Viriato (Viseu).

Já nos dias 19 e 20 de fevereiro de 2021, a Companhia Nacional de Bailado estará no Rivoli com "Dançar em tempo de guerra", um programa que reúne duas obras: "Chronicle" e "A Mesa Verde" (a última vez que foi dançada pela CNB foi em 1987), peças criadas na década de 30 do século passado pelos coreógrafos Martha Graham e Kurt Jooss.

Maratona de Tchékhov abre programação em setembro

O encenador e ator português Tónan Quito apresenta "A vida vai engolir-vos", peça que marca o regresso da programação do Teatro Municipal do Porto, dividindo-se em duas partes que podem ser vistas alternadamente no Rivoli (17 e 19 de setembro) e no Teatro Nacional São João - TNSJ (18 e 19 de setembro).

Trata-se de uma maratona de dez horas de espetáculo, que consiste na adaptação e montagem de quatro das principais peças de Anton Tchékhov: "A Gaivota", "O Tio Vânia", "Três Irmãs" e "O Ginjal".

Montado no âmbito do programa União de Facto, resulta de uma parceria estabelecida entre o TMP e TNSJ. O espetáculo é, também, uma coprodução e coapresentação com o Teatro Nacional D. Maria II e o São Luiz Teatro Municipal (Lisboa), que o acolhem entre os dias 1 e 12 de setembro.