Sociedade

STCP passa a ser gerida em janeiro pelas autarquias com a presidência do Porto

A Câmara do Porto aprovou hoje o modelo de gestão da STCP
que está a ser aprovado pelos seis municípios envolvidos. A empresa passará a
ser gerida pelas autarquias, com a presidência da Câmara do Porto.


Trata-se de uma antiga ambição dos municípios que agora será
cumprida a partir de janeiro de 2017 e que permitirá, entre outras melhorias, a
aquisição de 300 novas viaturas de última geração em matéria de eficiência
energética. A aquisição dos novos autocarros será custeada pelo Estado Central.
A propriedade da empresa mantém-se na esfera do Estado e, como tal, a dívida
histórica da STCP também, pelo que não cairá sobre os municípios.


A passagem da gestão da empresa para as Câmaras Municipais
foi conseguida depois de revertida a concessão operada pelo anterior governo. A
Câmara do Porto nunca concordou com a forma como a concessão tinha sido
operada, por não garantir uma rede suficiente e eficiente na cidade.


A CDU opôs-se à passagem da gestão para os municípios,
defendendo que se deveria manter centralizada em Lisboa.


O PSD, através do vereador Ricardo Almeida, defendeu o
anterior modelo de concessão.


Manuel Pizarro, vereador do PS frisou as vantagens do modelo
agora adotado, no que concordou com Rui Moreira, para quem a situação de Lisboa
e do Porto são muito diferentes, já que, em Lisboa, a Carris opera 92% no
concelho e no Porto apenas 53% da operação da STCP acontece na cidade.


A proposta foi aprovada com o voto contra de Pedro Carvalho,
da CDU, e a abstenção do de Ricardo Almeida, do PSD. Todos os vereadores do PS
e independentes votaram a favor.