Sociedade

Porto assinala duas décadas de Centro Histórico como Património Mundial

Na próxima
segunda-feira, cinco de dezembro, assinalam-se os 20 anos da classificação do
Centro Histórico do Porto como Património Mundial. Para celebrar esta
efeméride, a Câmara do Porto preparou várias iniciativas que decorrerão ao
longo do dia, incluindo a inauguração de seis instalações de luz resultantes do
projeto ALUMIA.


A cinco de dezembro de
1996, a UNESCO incluiu oficialmente o Centro Histórico do Porto na lista do
Património Cultural da Humanidade. Foi o reconhecimento do excecional valor
cultural, patrimonial e paisagístico da parte mais antiga da cidade do Porto e
o culminar de um processo iniciado em 1991, por iniciativa da autarquia
portuense.


Para assinalar esta
data, haverá um vasto e diversificado conjunto de iniciativas que vão decorrer
ao longo da próxima segunda-feira, dia em que arranca oficialmente o projeto
ALUMIA, criado para trazer uma nova luz ao Centro Histórico do Porto e convidar
o público a um novo olhar sobre o património classificado.


O programa das comemorações inicia-se ao meio-dia, com o
repicar, em uníssono, dos sinos de várias igrejas e monumentos que habitam o
território classificado. É o recuperar de uma iniciativa que marcou a
celebração do anúncio oficial por parte da UNESCO há precisamente 20 anos.
Clérigos, Sé Catedral do Porto e as igrejas de São Francisco, Misericórdia do
Porto, São João Novo, São José das Taipas, São Nicolau e Nossa Senhora da
Vitória são alguns dos locais onde os sinos vão repicar durante 20 minutos, a
partir do meio-dia.


Ao fim da tarde, as
atenções viram-se para a ponte Luiz I, outro dos monumentos classificados pela
UNESCO, onde, a partir das 17 horas, terá lugar uma performance área de dança
acrobática, com um trapézio suspenso no tabuleiro superior da ponte. Com
duração de 20 minutos, o espetáculo antecede a inauguração de uma instalação de
luz inspirada no traçado arquitetónico da ponte, inaugurada há 130 anos.


Patente de cinco até 11
de dezembro, a instalação, batizada de "LUiZ", pretende personificar o elo de
ligação entre a cidade, o rio e os seus habitantes. As luzes, que funcionarão
como faróis de memória, vão acender-se diariamente, a partir das 17,30 horas.


O outro momento alto do programa comemorativo está agendado
para as 17,30 horas, com a inauguração das seis instalações de luz do programa ALUMIA. Idealizadas por seis
artistas e coletivos da cidade, as instalações vão estar patentes até oito de
janeiro de 2017, convocando o público a um novo olhar e a diferentes leituras
sobre o património e a sua paisagem envolvente.


Nuno Lemos, administrador da Porto Lazer, visita as
instalações a partir das 17,30 horas, num passeio que se iniciará no Jardim da
Cordoaria (junto ao lago) e se desenvolverá pelo Largo do Amor de Perdição,
Clérigos, Largo dos Lóios, Estação de São Bento (fachada) e Bairro da Sé
(conforme roteiro em anexo).


Neste dia, o público será também convidado a percorrer este
caminho de luz, em visitas guiadas pelo Serviço Educativo do projeto ALUMIA,
sempre a partir do Jardim da Cordoaria, com partidas de hora a hora entre as
17,30 e as 21,30 horas.


Ainda ao final da tarde,
pelas 18,30 horas, o presidente da Câmara do Porto apresenta o livro "Porto
Património Mundial 20 anos| 20 imagens", na Biblioteca do Seminário Maior.
Resultado de uma parceria entre a autarquia e a Imprensa Nacional Casa da Moeda
(INCM), o livro reúne um conjunto de fotografias alusivas ao Centro Histórico,
captadas por 20 fotógrafos nacionais, com textos de Álvaro Domingues (geógrafo e
professor da Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto), Gaspar Martins
Pereira (historiador e professor na Faculdade de Letras da Universidade do
Porto) e Manuel Carvalho (jornalista e redator principal do jornal Público).


Após o lançamento
deste livro e também na Biblioteca do Seminário Maior, segue-se às 19 horas um
debate sobre o "Património Mundial", moderado pelo professor Álvaro Domingos e
que terá como convidados a vice-presidente da Câmara de Marraquexe, Awatef
Berdai, o vereador do Urbanismo da Câmara do Porto, Manuel Correia Fernandes, e
o arquiteto Rui Loza.


Finalmente, a partir
das 22 horas, o Salão Árabe do Palácio da Bolsa será palco de um concerto
festivo, intitulado "Al-Mu'tamid, Rei Poeta do Al Andaluz". O projeto artístico
integra diversos músicos portugueses, espanhóis e marroquinos, que compuseram
temas originais a partir de poemas de Al-Mu'tamid, o mais brilhante poeta
Ibero-Árabe do Séc. XI. Os temas serão cantados em cada uma das línguas dos
três países que hoje integram o território geográfico de maior influência do
Al-Andalus - Portugal, Espanha e Marrocos.


O concerto é gratuito
e os bilhetes para o público podem ser levantados no Teatro Municipal do Porto
- Rivoli até às 22 horas do próximo domingo, dia quatro de dezembro, e na Casa do
Infante, até às 17 horas de sábado, dia três.