Educação

Desafios da situação atual para o mercado de trabalho em debate numa edição digital do Career Summit

Filipa Brito

Os grandes desafios que a pandemia trouxe ao mercado laboral, e que os profissionais de orientação vocacional têm de ultrapassar, estiveram hoje em debate na terceira edição do Career Summit, que decorreu inteiramente online.

O evento, promovido anualmente pela Câmara do Porto, através da Cidade das Profissões, decorreu sob o tema "O Profissional do Futuro e o Futuro do Trabalho", com várias preleções e painéis de debate a abordarem o impacto da pandemia de Covid-19 sobre o mercado laboral, as implicações das tecnologias na gestão de equipas, ou a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho.

"As instituições, as empresas, são confrontadas com desafios que nunca antes viveram. Isso coloca desafios, que já eram muitos antes da pandemia, e hoje são ainda mais. A nossa realidade alterou-se de um momento para o outro", notou o vereador com os pelouros da Educação e da Habitação e Coesão Social, Fernando Paulo, na sessão de abertura do Career Summit.

Neste contexto, acrescentou Fernando Paulo, é importante não esquecer os jovens em situação NEET (Not in Education, Employment, or Training, ou seja, nem estudam nem trabalham), as pessoas em situação de sem-abrigo, pertencentes a minorias étnicas, migrantes, pessoas com mais idade, com problemas de saúde, entre outros - destacando o "trabalho colaborativo de promoção da empregabilidade, que já é desenvolvido pelo Município do Porto, e o disseminar boas práticas".

Os impactos que a Covid-19 está a produzir nos jovens e organizações de juventude, que podem passar pelo desemprego e precariedade, riscos para a saúde mental, restrições e novas formas de socialização, também estiveram em análise na mais recente reunião do Conselho Municipal da Juventude.