Cultura

Porto Design Biennale regressa em 2021 para "desenhar o presente"

Miguel Nogueira

A segunda edição da Porto Design Biennale, promovida pelos municípios do Porto e Matosinhos e organizada pelo centro de investigação da Escola Superior de Arte e Design (ESAD), vai realizar-se nos meses de junho e julho do próximo ano. “Alter-Realidades: Desenhar o presente” é o tema escolhido e França o país convidado.

As datas estão marcadas no calendário. Entre 4 de junho e 25 de julho de 2021, as cidades do Porto e Matosinhos regressam como epicentro europeu de uma reflexão sobre o design, em todas as suas dimensões.

Depois de a primeira edição, em setembro de 2019, ter elegido Itália como país convidado, desta feita a Porto Design Biennale (PDB) volta-se para França, país igualmente fecundo no desenvolvimento da disciplina.

Inevitavelmente, a mudança repentina que 2020 trouxe ao mundo, também acabou por ditar o tema do evento, que vai concentrar programa e energias “no debate em torno da capacidade do design para delinear novas soluções para problemas coletivos, numa altura em que o mundo enfrenta novos desafios e incertezas quanto ao uso, planeamento e sustentabilidade dos centros urbanos, da mobilidade dos cidadãos e da forma como o espaço público pode manter-se como catalisador de experiências”, assinala a organização, em comunicado.

Na segunda edição da PDB, a curadoria é entregue a Alastair Fuad-Luke, considerado “um nome incontornável na investigação da forma como o design é aplicado às questões sociais, ecológicas, políticas e educacionais”. O professor de Investigação em Design na Universidade Livre de Bozen-Bolzano (Itália), e também ativista, é ainda autor e coautor de várias publicações, entre as quais se destacam “The Eco-design Handbook” ou “Design Activism: Beautiful Strangeness for a Sustainable World”.

Além da programação habitual, que inclui exposições, conferências, oficinas e publicações, a curadoria de Alastair Fuad-Luke está comprometida em responder “aos desafios de uma programação no contexto atual e disseminada pelo território de ambas as cidades”.

Facto ainda mais compreensível, dado o seu percurso profissional e o trabalho em rede que promove. Atualmente presta consultoria à União Europeia no âmbito do projeto “4Cs, From Conflict to Conviviality through Creativity and Culture”, tendo também colaborado em outros projetos europeus como o “Eco-innovera — Support Systems for Sustainable Entrepreneurship and Transformation” e “Leonardo Da Vinci — Design Education and Sustainability”. Por outro lado, um dos seus mais recentes projetos, muu-baa, apresenta-se como uma organização em rede para explorações “agroculturais”.

As candidaturas para propostas relativas à agenda da Porto Design Biennale decorrem até 17 de janeiro de 2021. Neste campo, a organização informa que terá em conta aquelas que sejam capazes de enriquecer a reflexão em torno do tema geral da PDB.

A segunda open call (convocatória aberta) destina-se ao “Design Gráfico” e está aberta à apresentação de portefólios de designers, estúdios ou agências de design interessados em desenvolver a identidade e conceito visual da PDB 2021. As candidaturas estão igualmente abertas e terminam a 10 de dezembro.

Em 2019, a primeira edição da PDB mobilizou cerca de 50 mil pessoas ao longo de 81 dias, num programa que integrou cerca de 300 projetos e 60 eventos como exposições, oficinas, performances, instalações e conversas, apresentados em 37 espaços das cidades do Porto e Matosinhos, envolvendo 20 curadores e 310 participantes de 18 nacionalidades.

Uma aposta conjunta dos dois municípios, que cumpriu ainda o objetivo de refletir sobre as “Tensões do Novo Milénio”, tema eleito para a edição inaugural da PDB.