Sociedade

Porto Book Stock Fair de regresso ao Pavilhão Rosa Mota até 13 de novembro

  • Notícia

    Notícia

Começa hoje o Porto Book Stock Fair que, até 13 de novembro,
vai transformar o Pavilhão Rosa Mota na maior livraria do país.

Estarão representadas mais de 150 editoras nacionais e
estrangeiras, com mais de 30 mil títulos (dos quais muitos já não se encontram
nas livrarias ou foram descontinuados há mais de 18 meses) e com descontos que
podem ir até aos 80 por cento. O evento, de entrada livre, é uma organização da
editora Calendário de Letras, funcionando todos os dias, das 10 às 20 horas.

O autor em destaque nesta edição é Germano Silva, um
reconhecido jornalista e historiador portuense, que comemorou recentemente 85
anos e tem mais de uma dezena de livros publicados, destacando a cidade do
Porto em grande parte da sua obra.

Depois do Brasil e de Espanha, o Porto Book Stock Fair deste
ano é dedicado a Moçambique, e terá uma área reservada que inclui diversas
obras e best-sellers dos grandes autores moçambicanos, mas também artesanato
local e outras atividades alusivas à cultura do país.

Logo na abertura, esta sexta-feira, o Porto Book Stock Fair irá
inaugurar uma exposição com obras dos artistas moçambicanos Silva Dunduro
(pintura), Celestino Mudaulane (pintura), Frank Ntaluma (escultura) e Heitor
Pais (cerâmica e pintura).

No dia 5 de novembro, será a vez da apresentação do livro
"História da Associação Académica de Moçambique", de Luís Gonzalez e
Carlos Lopes Pereira. Neste dia, está também agendada uma sessão de autógrafos
com os autores Lúcia Vaz Pedro e Helena Osório. Finalmente, a 12 de novembro
serão apresentados os livros "Versos que riem", de João Pedro
Messeder e Ana Biscais; e "EcoConto", de Clara Carrapatoso e Helena
Veloso.

Em paralelo, no Porto Book Stock Fair decorrerão ainda
várias atividades, como exposições fotográficas, sessões de autógrafos e outras
apresentações de livros.