Cultura

Novo ciclo de Um Objeto e Seus Discursos inicia este sábado no Cinema Batalha

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, inaugura neste
sábado, 4 de março, às 18 horas, a nova série do ciclo de conversas "Um Objeto e Seus
Discursos por Semana" com que a autarquia tem vindo a promover o
conhecimento e (re)descoberta do património material e imaterial da cidade.


 


A sessão, de entrada livre, tem início pelas 18 horas e
inclui uma visita ao Cinema Batalha conduzida pelo autarca, pelo arquiteto
Alexandre Alves Costa, responsável pela reabilitação do edifício que Artur
Andrade projetou na década de 40 do século passado, e por Sara Antónia Matos,
diretora do Atelier-Museu de Júlio Pomar, artista convidado a refazer os
marcantes frescos no interior do cinema que a PIDE mandou destruir em 1948.


 


Com a recente decisão de assumir a reabilitação e
dinamização do icónico edifício, fazendo assim voltar o cinema à Baixa e
estimulando o comércio na zona, a escolha do 'Batalha' para retomar as
conversas em torno de "Um Objeto e Seus Discursos por Semana" é mais
do que adequada, tendo em conta que este projeto visa a descoberta física e
intelectual de locais e objetos simbólicos do Porto, muitas das vezes
desconhecidos ou ignorados pela população.


 


"Na sua simplicidade concetual e frugalidade
organizativa, esta iniciativa conseguiu transformar-se num veículo peculiar de
reativação patrimonial, de descoberta do território urbano e de ligação à nossa
identidade cultural, passada e presente", sublinha Rui Moreira, destacando
que, nas sessões de "Um Objeto e Seus Discursos", fala-se de
património. Ou seja, "de valor absoluto, com importância cultural,
histórica, arquitetónica, paisagística, arqueológica, industrial, científica,
gastronómica, até mitológica e do imaginário coletivo local".


 


Até 2 de dezembro, mais 30 sessões e 91 convidados de
diferentes quadrantes sociais e variados saberes - da engenharia à pesca,
passando pelas artes, pela saúde ou pela fé - vão ajudar a redescobrir museus e
bibliotecas, palacetes, cemitérios, faróis, torres ou sinagogas, aprofundando o
conhecimento sobre património municipal, de grandes instituições da cidade e de
objetos de natureza diversa que estão no domínio privado, mais ou menos
inacessível.


 


Acontecendo sempre aos sábados, pelas 18 horas, "Um
Objeto e seus Discursos por Semana é conhecimento, inclusão e circulação. É uma
experiência de cidade. De toda uma cidade que se projeta no futuro através do
amor que nutre pela sua história", conclui Rui Moreira.


Veja aqui a programação completa do ciclo de 2017.