Política

Município disponibiliza também a vacina da gripe a todos os trabalhadores

Miguel Nogueira

No seguimento da decisão de possibilitar a toma da vacina da gripe, de forma gratuita, nas farmácias, aos munícipes com 65 ou mais anos de idade, a Câmara do Porto resolveu estender essa oportunidade aos seus trabalhadores.

De forma a reforçar as medidas preventivas, no âmbito da segurança e saúde no trabalho, o Município disponibiliza a vacina da gripe a todos os trabalhadores que a queiram tomar, independentemente de estarem abrangidos pelo plano de vacinação gratuita da Direção Geral da Saúde (DGS).

A medida é especialmente importante para os trabalhadores que, pela natureza das suas funções, têm contacto direto, de forma continuada e prolongada, com a comunidade. A título de exemplo, a administração da vacina já foi concluída no Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto.

À semelhança da medida de disponibilização da vacina da gripe aos cidadãos a partir dos 65 anos, e numa lógica complementar a esta, a Câmara do Porto visa com esta iniciativa aumentar a proteção dos trabalhadores do Município e, simultaneamente, contribuir para aliviar a pressão nos serviços de saúde - seja na aplicação da vacina, evitando deslocações desnecessárias, ou na perspetiva de diminuição de casos de gripe que venham a necessitar de cuidados médicos.

O processo iniciou a 21 de outubro, contabilizando-se, até ao momento, um total de 1300 trabalhadores inscritos, o que ilustra a forte recetividade face à mesma. A vacina poderá ser tomada por todos os trabalhadores, gratuitamente e em segurança, numa farmácia da rede nacional de farmácias. No que respeita aos trabalhadores incluídos em grupos de risco definidos pela DGS e/ou com idades superiores a 65 anos, a Câmara do Porto articulou com os agrupamentos de centros de saúde locais, para que a administração da vacina fosse efetuada pelo serviço de enfermagem da autarquia.

A implementação desta medida vem associar-se a um conjunto de outras medidas de segurança, saúde e bem-estar adotadas desde o início da pandemia da doença Covid-19.