Ambiente

Jardim Botânico do Porto e Galeria da Biodiversidade reabrem em junho

O Jardim Botânico do Porto reabre na próxima segunda-feira, dia 1 de junho, e na terça-feira, dia 2, é a vez da Galeria da Biodiversidade, que ocupa o edifício central do Jardim, outrora morada de Sophia de Mello Breyner Andresen. Até lá, há um "tesouro" inédito para descobrir online.

Mais de dois meses após o seu encerramento, motivado pelas medidas de contenção da pandemia por Covid-19, o Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto (MHNC-UP) - no qual se integra o Jardim Botânico do Porto e a Galeria da Biodiversidade, na zona do Campo Alegre - prepara-se para reabrir as portas ao público já no início do mês de junho.

Se ainda não visitou o Jardim Botânico do Porto e as suas mais de 700 espécies de camélias, que já lhe valeram reconhecimento internacional, está na altura de programar a visita que, além do jardim, tem uma Galeria da Biodiversidade para descobrir.

Neste local, a contagem decrescente já começou com "a disponibilização de um documentário inédito, focado numa das mais emblemáticas peças da sua coleção: a enigmática Balaenoptera da Praia do Paraíso", destaca o Notícias U. Porto.

Em "A Balaenoptera da Praia da Paraíso: a história de um sonho" propõe-se então uma viagem no tempo ao encontro do enorme esqueleto de uma baleia encontrada em 1937 na Praia do Paraíso (Leça da Palmeira), e que preenche atualmente o átrio central da Galeria da Biodiversidade.

Com uma história escrita ao longo de mais de oito décadas, este objeto, "símbolo de esperança, beleza e tranquilidade", tem sido fonte de inspiração de poetas, cientistas e artistas.

O documentário fica disponível online até 1 de junho, a data em que o Jardim Botânico do Porto volta a abrir ao público. Um dia depois, a 2 de junho, será a vez da Galeria da Biodiversidade e do polo central do MHNC-UP, no edifício da Reitoria.