Economia

Investigadora do Porto premiada pela Academia de Ciências Médicas britânica

A neurologista e
investigadora Ester Coutinho, que fez a sua formação médica no Hospital de
Santo António, no Porto, foi premiada pela Academia de Ciências Médicas do
Reino Unido pela apresentação oral de um estudo sobre disfunções no
neurodesenvolvimento da criança, num evento que acontece todos os anos e que
reúne especialistas de variados campos da medicina.

Os participantes do
evento são escolhidos com base na qualidade do seu trabalho. Ester Coutinho foi
distinguida com o primeiro prémio na competição de Apresentação Oral em
Plenário pela Academia e o seu estudo foi publicado recentemente na revista
britânica "The Lancet", considerada uma das mais prestigiadas
revistas científicas sobre medicina, de publicação semanal e com revisão por
pares.

A investigadora do Porto
está no Reino Unido há quatro anos a desenvolver o seu projeto de investigação,
tendo concluído o seu doutoramento. O seu trabalho estuda a influência de
anticorpos no sangue da mãe durante a gestação e as consequências destes mesmos
anticorpos no neurodesenvolvimento, em particular, o estudo de um anticorpo
contra uma proteína cerebral, chamada CASPR2, que foi encontrado num pequeno
subgrupo de mães e que foi associado ao aparecimento de atrasos intelectuais e
motores na criança.


"Eu e o grupo estamos naturalmente muito felizes por ver o nosso trabalho reconhecido pela Academia de Ciências Médicas
britânicas. No futuro, iremos
prosseguir o estudo nesta área, procurando compreender melhor os mecanismos
através dos quais o sistema imune materno interfere no neurodesenvolvimento da
criança", revelou a médica e cientista Ester Coutinho.