Sociedade

Investigadora do i3S ganha prémio com estudo sobre o cancro do pulmão

Um trabalho relacionado com o prognóstico no cancro de pulmão valeu à investigadora Joana Catarata, do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S), a distinção no 35.º Congresso Anual da Sociedade Portuguesa de Pneumologia (SPP), segundo revelou o portal de notícias da Universidade do Porto.

Intitulado "The role of genetic polymorphism of the renin-angiotensin system and angiogenic factors in lung cancer progression", o estudo permitiu identificar alguns biomarcadores genéticos com valor de prognóstico no cancro de pulmão de não pequenas células.

Além disso, "poderá ter implicações na monitorização da progressão tumoral e permitir a identificação de doentes com determinado perfil genético que, uma vez identificados, poderão beneficiar de modalidades terapêuticas dirigidas", avança a investigadora, que conquistou o 2.º Prémio Thomé Villar SPP/Boehringer Ingelheim 2019 e também o prémio de Melhor Comunicação Oral, no valor total de seis mil euros.

Os primeiros resultados dos estudos de Joana Catarata já tinham sido distinguidos pela SPP com o 1.º Prémio Robalo Cordeiro SPP/Novartis 2018, no valor de dez mil euros.

A investigadora no i3S é também estudante do programa doutoral em Farmacologia e Toxicologia Experimentais e Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e médica interna de Pneumologia no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).