Sociedade

Histórico periódico “Patriota Portuense” integralmente disponível em formato digital

DR

A Biblioteca Pública Municipal do Porto associa-se às comemorações dos 200 anos da Revolução Liberal, disponibilizando em formato digital a existência do “Patriota Portuense”.

Este periódico, publicado durante o ano de 1821 no Porto, na Oficina da Viúva Alvarez Ribeiro e Filhos, e tendo como editor literário Azevedo Soares, surgiu nesse contexto, constituindo um exemplo do acompanhamento que a cidade dispensou aos novos tempos.

A Revolução Liberal veio trazer à luz do dia uma nova liberdade de imprensa, que levou ao aparecimento do jornalismo de opinião. De facto, antes de iniciada a discussão sobre o texto da futura Constituição de 1822, já tinham aparecido no Porto os primeiros jornais liberais, como por exemplo, “O Génio Constitucional” (2 de outubro de 1820), “Patriota Portuense” (1 de janeiro de 1821) e “O Analista Portuense” (1822), entre outros.

O principal objetivo de quase todos os periódicos era de natureza política – soprar ao fogo da revolução. O “Patriota Portuense” di-lo claramente no primeiro número: criar e orientar a opinião pública, demonstrando a vantagem dos governos constitucionais e danos inerentes ao despotismo, produzindo, portanto, artigos doutrinários.

Embora reproduzisse todos os documentos emanados do Governo, nele se publicavam, também, notícias locais e nacionais, bem como correspondência de leitores, que aproveitavam este meio para demonstrar a sua opinião sobre a gestão da cidade, inclusive o seu desagrado relativamente à forma como os assuntos eram conduzidos.

Este importante periódico, que podia ser consultado presencialmente em suporte papel, passa a estar também acessível na forma digital no site das Bibliotecas Municipais do Porto (pode consultar o arquivo do “Patriota Portuense” aqui).