Cultura

Filme protagonizado pela comunidade da Sé do Porto estreia em outubro

Precisamente daqui a um mês é apresentada à cidade a película "Marias da Sé", integrada no programa do 7.º Family Film Project - Festival Internacional de Cinema de Arquivo, Memória e Etnografia. A longa-metragem do realizador Filipe Martins é uma produção do Balleteatro e conta com o apoio da Câmara do Porto.

Inicialmente pensado como curta-metragem, o filme, que será apresentado pela primeira vez no Passos Manuel, surge de um desafio lançado ao realizador Filipe Martins pelo Balleteatro em associação com a empresa municipal Porto Lazer. O resultado é uma longa-metragem híbrida, entre o documentário e a ficção, que cruza várias linhas narrativas num único dia no Porto: uma irmandade de mulheres que se reúnem diariamente para jogar às cartas; um casal de turistas (João Reis e Carla Bolito) que passeia pela zona histórica da Sé; uma atriz solitária em busca de uma personagem (Lígia Roque); um ensaio geral de teatro amador no dia da estreia; e outras micro-histórias que vão surgindo da voz das gentes locais. O dia termina com o epílogo noturno da "queima do Judas", uma cerimónia ritual típica da Sé para exorcizar todos os males.

Toda a trama de "Marias da Sé" é, com efeito, protagonizada pela comunidade residente na zona da Sé, embora conte com a participação de atores profissionais.

Com o seu tradicional enfoque nas paisagens familiares e no cruzamento entre a intimidade e o olhar etnográfico, o Family Film Project - Festival Internacional de Cinema de Arquivo, Memória e Etnografia decorre, entre 15 e 20 de outubro, no Passos Manuel, Maus Hábitos e Coliseu Porto AGEAS, com um programa variado que inclui sessões competitivas, masterclasses, performances e vídeo instalações.

Também no dia 17 de outubro, o Balleteatro apresenta ainda no Passos Manuel a publicação "Unframing Archives", decorrente da conferência com o mesmo nome que teve lugar na edição de 2017 do Family Film Project. O livro resulta da parceria com o grupo de investigação Estética, Política e Conhecimento do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto e reúne um conjunto de ensaios e entrevistas sobre o cruzamento entre o cinema, as artes e o arquivo.

O festival é organizado pelo Balleteatro, estrutura residente no Coliseu Porto AGEAS, financiado pelo Governo de Portugal e a DGArtes, e em coprodução da Câmara do Porto.