Cultura

Executivo quer avançar com os "Ateliers Municipais" para artistas da cidade

O projeto "Ateliers Municipais" vai ser apreciado na próxima reunião de Executivo Municipal. A iniciativa dirige-se a artistas da cidade que, selecionados através de um concurso, poderão ocupar ateliers em pleno Centro Histórico do Porto, na zona da Lada, junto ao Túnel da Ribeira. O investimento municipal ronda os 100 mil euros.

Na próxima segunda-feira, dia 6, a reunião de Executivo Municipal vai abordar e deliberar sobre o projeto dos "Estúdios e Ateliers Municipais", por proposta do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira. A iniciativa será operacionalizada pela empresa municipal Ágora e dirige-se a artistas da cidade que, selecionados através de concurso, poderão instalar-se em ateliers situados na Lada, em pleno Centro Histórico da cidade, através de contratos de cedência pelo período de três anos.

O projeto pretende integrar o edifício dos Ateliers da Lada - construído por ocasião do Porto Capital da Cultura 2001, sobre o Túnel da Ribeira, precisamente com o intuito de ser um espaço de atelier para artistas - assim como um apartamento situado num prédio adjacente que, após obras de requalificação, ficará também integrado no primeiro polo dos Ateliers Municipais.

Este primeiro polo do projeto contará com seis espaços de trabalho dedicados a artistas visuais, quatro no edifício Ateliers da Lada e dois no apartamento adjacente, e será equipado com uma cozinha e um espaço para refeições e convívio.

Os ateliers vão ser cedidos através de um concurso, promovido pela Ágora - Cultura e Desporto do Porto, sendo condição que os artistas visuais ou coletivos de artistas estejam sediados na cidade.

Os contratos de cedência serão celebrados mediante contrapartida financeira a pagar pelos artistas, mas "por um valor consideravelmente menor do que o preço de mercado estimado para o arrendamento", assinala a proposta de Rui Moreira. De forma que os montantes sejam simbólicos, o Município apoia financeiramente o projeto com cerca de 100 mil euros para o triénio. Este valor é considerado pela diferença entre os preços concretos estabelecidos no Regulamento do Concurso e o seu valor de mercado.

Além disso, o Município suportará ainda todas as despesas de manutenção, como a eletricidade, água, gás natural e telecomunicações do espaço, durante a vigência do contrato.

A iniciativa resulta de uma deliberação levada a cabo pelo Conselho de Administração da Ágora, no final de maio, que culminou na decisão de promover o projeto de criação de Ateliers Municipais, com o objetivo de acolher artistas que possam, nestes espaços, desenvolver o seu trabalho no âmbito desse projeto.

Contando com a coordenação do Município do Porto, o projeto está integrado no seu plano cultural, sendo a evolução dos discursos artísticos contemporâneos um vetor central, com um papel relevante para o desenvolvimento da cidade.