Cultura

Curso Politics of Survival: Spirit, Matter and Modes inclui sessões públicas

Carlos Costa, Gabriela Vaz-Pinheiro e Jorge Palinhos são os tutores do novo curso Pláka, que inclui várias sessões abertas ao público.

"Politics of Survival: Spirit, Matter and Modes" é o título do segundo curso dos Colectivos PLÁKA, que começa já amanhã, sexta-feira, e propõe um debate sobre o posicionamento dos produtores de arte e de pensamento e de que modos as práticas artísticas, individuais ou coletivas, podem transformar uma cidade e, no limite, o próprio planeta.

Esta nova edição pretende estimular a criação e partilha de conhecimento como forma de reflexão sobre os espaços e percursos urbanos, contando com a tutoria de Carlos Costa, professor, investigador e diretor artístico da Visões Úteis, Gabriela Vaz-Pinheiro, diretora do Mestrado em Arte e Design para o Espaço Público da FBAUP, e Jorge Palinhos, escritor, investigador e docente na ESAP e ESTC.

A terceira componente do curso, intitulada "Modes of Survival", apresenta uma série de debates e screenings sobre variados temas, num conjunto de sessões abertas ao público que decorrerão nos dias 10, 17, 24 e 31 de outubro.

Nessas sessões, respetivamente, Rui Matoso e Mariana Pestana querem questionar como a arte e a cultura podem ou não permanecer como marcadores da humanidade e da civilização em "Art and Culture"; "The Built Environment" abre a discussão sobre como lidar com a sobrevivência do ambiente construído e como pode determinar a sobrevivência das práticas sociais e da humanidade no geral, com João Luís Fernandes e Marjetica Potrc; Jorge Leando Rosa e Marta Alvim refletem sobre qual o valor que a terra ainda tem e como pode continuar a estar no centro da ação humana em "The Land"; e, por fim, em "The Body", Lia Carreira e Camille Louis analisam como é que o corpo lida com desafios sociais, económicos, tecnológicos, entre outros, e de que forma lhes pode sobreviver.

As sessões públicas decorrerão sempre às 18,30 horas, no 7.º piso do Palácio dos Correios, na Praça do General Humberto Delgado.

Os Colectivos Pláka fazem parte da plataforma PLÁKA, que sistematiza a política da Câmara do Porto para apoio à prática artística contemporânea e de que pode saber todos os detalhes aqui.