Cultura

Filme de Botelho lembra Sá-Carneiro

No dia em
que se evoca o centenário da morte de Mário de Sá-Carneiro, 26 de abril, será
exibido na Biblioteca Municipal Almeida Garrett o filme de João Botelho
"Conversa Acabada" (1980), inspirado na amizade entre Fernando Pessoa e
Sá-Carneiro, os dois grandes autores do Modernismo português. A sessão, de
entrada livre, realiza-se às 21,30 horas e será apresentada pelo realizador e escritor Sousa Dias.


"Conversa
Acabada" é a primeira longa-metragem de ficção assinada por João Botelho que se
tornou um dos filmes de culto do cinema português. Em 1981, ganhou o Prémio
Glauber Rocha, uma Menção Especial do Júri no Festival de Cinema da Figueira da
Foz e o Grande Prémio do Festival de Cinema de Antuérpia.


O filme
passa-se no início do século XX, altura de profunda crise política e moral na
sociedade portuguesa. Fernando Pessoa e Mário de Sá-Carneiro reinventam a
língua e o modo de dizer. Um rebenta a solidão com a criação dos heterónimos
que lhe permitem prolongar a existência; o outro despedaça o corpo e a própria
vida na vertigem dispersa de poemas e novelas. O filme retrata a história desse
encontro, os textos, a amizade e a morte. Sá-Carneiro suicida-se num quarto de
hotel em Paris, a 26 de abril de 1916.


João Botelho
nasceu em Lamego, em 1949. Frequentou a Escola de Cinema do Conservatório
Nacional (1974) e o Curso de Engenharia Mecânica na Universidade de Coimbra.
Foi cineclubista no Porto e em Coimbra (onde dirigiu o Círculo de Iniciação
Teatral da Academia de Coimbra). Assinou crítica de cinema em várias publicações,
como a Gazeta da Semana ou a revista M (de que foi fundador). Trabalhou em
artes gráficas e iniciou-se como realizador em 1976. São de sua autoria, entre
outros, os filmes: "Um Adeus Português" (1985), "Tráfico" (1998), "O Fatalista"
(2005), "A Corte do Norte" (2009), "Filme do Desassossego" (2010), "Os Maias -
Cenas da Vida Romântica" (2014) e "O Cinema, Manoel de Oliveira e eu" (2016).