Economia

Gigante do setor eólico escolhe o Porto graças à concentração de talentos e de conhecimento

A Vestas, gigante do setor eólico presente em 75 países, elegeu o Porto como polo de expansão no país, no âmbito de uma estratégia global. A justificar a escolha está a "oferta de talento e proximidade a universidades e institutos de investigação de referência". Empresa cria 80 postos de trabalho até ao final deste ano e centenas até 2020 com futuro centro de I&D a instalar na região.


A multinacional - dedicada ao
fabrico, instalação e manutenção de aerogeradores - vai abrir até 2020 um
centro de engenharia, um investimento na ordem dos 5 a 10 milhões de
euros e que empregará centenas de profissionais. Entretanto, e
até ao final deste ano, a Vestas admitirá 80 profissionais. No
âmbito deste plano, a empresa começa já o processo de recrutamento entre a
comunidade universitária, iniciando na próxima semana um "roadshow" que passará
pelas universidades de Porto, Minho e Aveiro.


O
futuro centro de Investigação e Desenvolvimento (I&D) trabalhará com os demais
centros de I&D da multinacional do setor no Reino Unido, na Noruega, na
Alemanha, na Índia e na sede global da empresa, em Aarhus, na Dinamarca. Apesar
desta interligação, irá funcionar como uma plataforma independente,
participando no desenvolvimento de sistemas para o portefólio mundial de
produtos da Vestas e promovendo o desenvolvimento transdisciplinar e pessoal.


A
sua localização não está ainda definida - sabe-se de antemão que ocupará uma
área considerável -, sendo que até lá a Vestas estará nas instalações do UPTEC -
Parque de Ciências e Tecnologia da Universidade do Porto.


Segundo
avança a empresa em comunicado, "a zona do Porto oferece acesso
a uma amplitude de competências nas áreas em que a Vestas está a contratar,
nomeadamente, engenharia elétrica, engenharia mecânica e engenharia
informática. A proximidade a importantes universidades e a institutos de
pesquisa de excelência foram outros fatores essenciais para a escolha do Porto
e de Portugal".


A prioridade dada ao Porto por esta
multinacional, que tem um impacto positivo na mudança energética mundial, vem reiterar o interesse crescente de grandes empresas pela cidade, nos últimos anos, o que fez já disparar para valores recordes o número de colocações profissionais.