Cultura

Companhia Nacional de Bailado regressa esta semana ao Teatro Rivoli

"iTMOi" é uma das produções que construiu a reputação do criador britânico Akram Khan e que a Companhia Nacional de Bailado traz, nesta semana, ao Teatro Municipal Rivoli, num programa com evocações de Stravinsky e que inclui workshops gratuitos sobre artes performativas para crianças.

O conceito de uma mulher que dança até à morte e a
expressividade da música de Igor Stravinsky constituem o ponto de partida para
"iTMOi", a obra criada por Akram Khan e que a Companhia Nacional de
Bailado leva ao palco do Rivoli quinta, sexta e sábado.

Nascido no Bangladesh, Akram Kahn é um dos mais conhecidos e
respeitados artistas da dança da atualidade, tendo criado, em apenas 16 anos,
um conjunto de obras que contribuíram significativamente para as artes no Reino
Unido e no estrangeiro. Tornou-se, além disso, um polo de atração para artistas
de variadas culturas e disciplinas.


 


Entre as produções imaginativas de sucesso que construíram a
sua reputação, como "Until the Lions", "DESH" e outras,
Akram Kahn classifica "iTMOi" como "uma ruptura na mente, uma
morte no corpo e um nascimento na alma, tudo lembrando-nos que a mente e a
imaginação são selvagens e auto-criativas".


 


A peça apresentada pela CNB explora a condição humana
através da coreografia e da música dos compositores Nitin Sawhney, Jocelyn Pook
e Ben Frost, que usam Stravinsky como referência.


 


"iTMOi" sobe ao palco do Rivoli pelas 21,30 horas
de quinta e sexta-feira e pelas 19 horas de sábado, sendo a apresentação de
quinta-feira oportunidade para uma conversa pós-espetáculo com o compositor
Nuno Pinho.


 


Entretanto, o regresso da CNB ao Rivoli é também pretexto
para um programa de sensibilização para as artes performativas, nomeadamente
com dois workshops de aproximação à dança para estudantes com idades entre os 9
e os 16 anos. Esta oportunidade de conviver com criadores e intérpretes e de
experimentar a dança nas suas diversas dimensões acontece entre as 10,30 e as
12 horas de quarta e de quinta-feira, com acesso gratuito mas inscrição prévia.


 


Além disso, está disponível o serviço de babysitting
performativo "Eu também vou! - A volta de rituais", monitorizado por
Joana Espanha. A atividade começa 15 minutos antes do espetáculo e está
acessível para crianças dos 5 aos 10 anos (€2), mediante marcação
prévia.

Bilhetes e mais informações aqui.