Cultura

Ciclo poético "Quintas de Leitura" celebra 15 anos

O ciclo
poético "Quintas de Leitura" comemora na próxima quinta-feira, dia 17, às 22
horas, no Teatro Campo Alegre, 15 anos de existência. 


Um
pensamento emprestado por Nietzsche - "Resta-nos a poesia para não morrermos de
verdade" - dá título à sessão n.º 186, apresentada por Adriana Faria e que
contará com as colaborações Miguel Pereira Leite, Cristiana Sabino, Paula
Ventura, Paulo Campos dos Reis, Pedro Lamares e Isaque Ferreira (leituras), e
ainda com a atuação dos Radar 360, da violinista Ianina Khmelik e as canções de
Pedro Abrunhosa.


Sobre as
"Quintas de Leitura" escreveu um dia o poeta João Habitualmente: "Até haver as 'Quintas de Leitura' o que eu gostava mais era das quintas do douro. A poesia
está nas Quintas como o peixe na água, os poetas estão nas suas sete quintas.
Mas o que gosto mesmo nas Quintas é não serem à sexta."


Para
comemorar 15 anos, haverá a leitura de poemas e textos de Mário Cesariny,
Manuel António Pina, Rainer Maria Rilke, Al Berto, José Carlos Barros, Gonçalo
M. Tavares, Ana Hatherly, Miguel Martins, Manuel de Freitas, Miguel Esteves
Cardoso, Almada Negreiros, Mário-Henrique Leiria, João Habitualmente, Manuel da
Silva Ramos, Miguel Real, Herberto Helder, Alberto Caeiro e Pedro Abrunhosa.


A imagem para
esta sessão será de Albuquerque Mendes, Alex Gozblau, Bárbara Assis Pacheco,
Isabel Lhano, Isabel Padrão, JAS, Joana Rêgo, Luís Tobias, Mafalda Capela,
Manuela Pimentel, Mariana, a Miserável, Mariana Baldaia, Mário Vitória, Marta
Madureira, PAM, PAT, Renato Roque e Wiola Stankiewicz. Todos estes artistas
responderam ao desafio de apresentarem uma imagem subordinada ao pensamento
emprestado por Nietzsche.


A música
estará a cargo de Ianina Khmelik (violino) e Rui David (voz e guitarra). Circo contemporâneo
com Radar 360º na performance "Ponto de Fuga".


Haverá ainda
a oportunidade de ouvir, em estreia mundial, um poema inédito de Mário-Henrique
Leiria ("Vilancete do horário de trabalho").