Cultura

Celebração dos 30 anos do Teatro de Marionetas do Porto arranca com "Fausto"

As celebrações dos 30 anos do Teatro de Marionetas do Porto arrancam hoje com a reposição de "Fausto", espetáculo encenado por Roberto Merino, numa homenagem ao fundador da companhia, João Paulo Seara Cardoso (1956-2010). O programa comemorativo estende-se ao longo do ano, com a reposição de algumas das peças mais significativas na história da companhia.

A peça, estreada em 2015 e criada a partir do original de Christopher Marlowe, obteve financiamento através de uma campanha de "crowdfunding" na plataforma digital PPL, onde angariou 2.600 euros.

A conhecida história de Fausto já teve "uma série de versões, talvez mais de mil", disse à Lusa o encenador Roberto Merino, por altura da estreia, que recorda o conto do homem cujo mundo "está concentrado no seu gabinete, onde há uma coisa que falta, que é conhecer o amor".

"Para tal vai ter de recorrer a uma força externa, que pode estar ao alcance dele através da magia. Estamos no final da Idade Média, a alquimia, necromancia, tudo se junta para invocar a força demoníaca que vem do exterior, do Inferno, e que vai reclamar a alma de Fausto", lembra Merino.

"Fausto", que conta com Mário Moutinho e Rui Queiroz de Matos na interpretação, ficará em cena no Teatro de Belomonte até 4 de fevereiro, podendo ser visto em sessões de quinta-feira a sábado às 21,30 horas e ao domingo às 16 horas.

A peça é o primeiro marco das celebrações dos 30 anos da companhia de teatro, fundada em setembro de 1988, quando se apresentou no Festival Mondial des Théâtres de Marionnettes, em Charleville-Mézières, França.

Além dos 30 anos da companhia, instalada na rua de Belomonte e atualmente dirigida por Isabel Barros, também o Museu de Marionetas do Porto comemora cinco anos de existência, sendo que um Pólo está localizado na Quinta de Bonjóia, funcionando como um museu fora de portas, no qual está patente a exposição Cinderela.

Nos próximos meses, a companhia vai continuar a apresentar produções em jeito de comemoração, repondo peças bem acolhidas dos últimos anos, como o caso de "Kitsune", a 23 e 24 de fevereiro, no Teatro Municipal de Matosinhos.

De 7 a 11 de março, o Teatro Carlos Alberto recebe "Óscar", concebido por Seara Cardoso em 1999, e o Teatro Municipal Rivoli o "Arcano", criado em 2017 a partir da obra de Franz Kafka, no dia 6 e 7 de abril.

Entre as comemorações, que decorrem até dezembro com várias outras peças, nota ainda para o lançamento do livro "Marionetas do Porto - 30 anos - As Marionetas não morrem", no dia 4 de fevereiro, no Teatro de Belomonte.

Saliente-se que grande parte da atividade da companhia "mistura-se" com a de Seara Cardoso, que encenou todos os espetáculos do Teatro de Marionetas do Porto entre 1988 e 2010, ano em que viria a morrer. O artista, natural do Porto, começou a sua atividade no Teatro Universitário do Porto e, ao longo da vida, fez "cerca de 1.500 representações do "Teatro Dom Roberto'", pode ler-se na página da companhia que fundou.