Sociedade

Candidatura nacional à EMA promovida no Báltico

Lituânia, Letónia
e Estónia são os países visitados, nesta semana, por uma delegação promotora da
candidatura do Porto à relocalização da Agência Europeia do Medicamento. Neste
périplo pelo Báltico participa, entre outros elementos, Eurico Castro Alves, membro da comissão da candidatura nacional.


Em países sem
cidades candidatas à EMA, decorre assim um trabalho diplomático assente no
argumentário do Porto - e o facto de reunir todos os critérios para sediar a
Agência -, mas também na oportunidade de desenvolvimento de relações
bilateriais na área do medicamento e da saúde.


No âmbito desta agenda, a comitiva portuguesa foi já recebida pelo
ministro da Saúde da
Lituânia, Aurelijus Veryga. O encontro permitiu também esclarecer dúvidas
colocadas sobretudo quanto a garantias de transição sem disrupções na atividade
e na proteção da saúde, o acompanhamento das famílias quanto a residência,
escolas e serviços de saúde e as oportunidades profissionais.



Foram também abordados temas de mútuo interesse,
tais como as iniciativas de saúde pública  de vigilância epidemiológica;
envelhecimento ativo, promoção da atividade física e hábitos de vida saudáveis;
ou eHealth, prescrição eletrónica e
outros meios de utilização de tecnologias de informação para cruzamento de
dados relativos, por exemplo, a doenças raras e centros de referência.



Foi ainda destacada a circunstância de poder a
Lituânia constituir-se observador nas reuniões do Comité Técnico de La Valetta,
de que Portugal é vice-presidente, tendo sido convidado o ministro para
participar nas próximas reuniões a realizar em Espanha e em Portugal. Aurelijus
Veryga foi também convidado a visitar o país para melhor se inteirar do sistema
de saúde português e de oportunidades de cooperação bilateral.


Recorde-se que, neste processo de candidatura, o Porto apresenta
argumentos fortes. É a única cidade com três edifícios elegíveis para sede
futura da EMA, estando, por uma reunião de motivos, entre as cinco cidades com
performance de topo nesta candidatura.


São 19 as cidades europeias interessadas em sediar a Agência do
Medicamento, que devido ao processo Brexit terá de abandonar o Reino Unido.