Sociedade

Câmara vota apoio aos proprietários de AL e hotéis que cederam quartos aos profissionais de saúde

Os proprietários de alojamentos locais e empreendimentos turísticos da cidade do Porto que cederam quartos a profissionais de saúde na linha da frente do combate à COVID-19 vão poder receber um apoio financeiro municipal, a título excecional, próximo dos 111 mil euros. A proposta vai a votação na reunião de Câmara do dia 25, segunda-feira. 

Antes mesmo da declaração de pandemia pela OMS, "num ato de solidariedade e entreajuda, proprietários de alojamento local, hotéis e demais empreendimentos turísticos, disponibilizaram os seus alojamentos aos profissionais de saúde sem qualquer tipo de compensação", recorda a proposta assinada pelo vereador da Economia, Turismo e Comércio, Ricardo Valente.

Considerando, por isso, que esta área específica do setor do turismo, "além de prejudicada pelos cancelamentos massivos de todas as reservas assumiu ainda, e complementarmente, os custos adicionais com esta cedência de alojamento aos profissionais de saúde", a maioria independente pretende agora atribuir-lhes um apoio, no período compreendido entre 14 de março e 16 abril, a atualizar mensalmente em função do número de quartos cedidos.

No período mais crítico da crise pandémica, o número de quartos disponíveis para o pessoal médico dos hospitais da cidade ultrapassou os 300. Face às inúmeras ofertas, o Município organizou uma base de dados, atualizada diariamente, com a disponibilidade de quartos, que remetia às administrações hospitalares da cidade do Porto e à Ordem dos Médicos.

Na proposta que será apreciada na segunda-feira pelo Executivo Municipal, o apoio prevê abranger 28 entidades e alojamentos, que disponibilizaram um total de 378 quartos, durante 3.606 noites a mais de 200 profissionais de saúde.

O documento recorda ainda que tendo sido o turismo "uma das molas impulsionadoras do destino Porto", o Município "não pode ficar indiferente à solidariedade e ao acréscimo de custos" que o setor suportou.