Sociedade

Câmara lança o Mapa de Talento do Porto e Norte

Mais
de 50 entidades públicas e privadas participaram na criação de um Mapa de
Talento que responde aos investimentos a concretizar-se nos próximos dois anos,
gerando perto de cinco mil postos de trabalho. O facto de o Porto e Norte ser a
região que mais forma no Ensino Superior (dados de 2015), a assimilação de
talentos estrangeiros que aqui querem ficar, a captação de um crescente número
de emigrantes qualificados e o reconhecimento dos desempregados com formação
superior, considerando a sua reintegração no mercado, são dados agora devidamente
mapeados.


 


A Câmara do Porto desenvolveu, em parceria com a plataforma Talent
Portugal, um estudo inovador que permitiu mapear a procura de talento pelas
empresas do Porto e Norte.


Designado Mapa de Talento Porto Norte, o estudo surge como
resposta ao crescente desafio da procura de talento qualificado por empresas
que têm escolhido o Porto e a região para instalação dos seus centros de
operações globais.


A análise contou com a participação de mais de 50 empresas,
estabelecimentos de ensino superior, Instituto do Emprego e Formação Profissional
e diversas entidades públicas e privadas. A apresentação formal decorreu ontem no
Palácio da Bolsa, na Conferência "Mapa de Talento - Porto Norte", que
contou com a presença de mais de uma centena de participantes e dos vereadores Filipe
Araújo, Ricardo Valente e Rui Loza.


Nesta cartografia foram abrangidas três vertentes relacionadas com
a procura, as competências e a oferta. A análise identificou as necessidades
apresentadas pelas empresas já instaladas (nacionais ou internacionais) e as
operações que pretendam instalar-se. Foram avaliadas as competências mais
procuradas e os recursos disponíveis, nomeadamente, estudantes de ensino
superior, desempregados, estrangeiros, expatriados, academias e requalificação,
entre outros.


Foi realizado um levantamento de 37 centros de serviços e empresas
tecnológicas, que irão contratar nos próximos dois anos cerca de 4700
colaboradores, tendo sido identificadas as competências mais procuradas nas
áreas de IT, Engenharia, Finanças e Línguas.


 


Macro-região
do Porto é a que mais forma no Ensino Superior em Portugal


No inquérito às empresas, concluiu-se que 75% dos colaboradores
são licenciados.


Efetivamente, a macro-região do Porto (zona de influência
identificada no estudo que abrange as capitais de distrito num raio de 150 Kms:
Aveiro, Braga, Coimbra, Viana do Castelo, Vila Real e Viseu) foi a que mais
diplomados formou em 2015 -  44.546, mais
de 47% do total nacional.


 


Integração
de desempregados em empresas multinacionais e tecnológicas


Um dos objetivos do estudo passou por identificar as competências
dos desempregados com habilitação superior, nas várias áreas de conhecimento e
dos perfis mais procurados, para poder informar as empresas da disponibilidade
de recursos humanos qualificados.


Foi igualmente feito o levantamento de entidades de formação e
academias que permitem requalificar desempregados, de modo a estarem aptos para
integrar estas empresas fortemente carentes de talento, favorecendo, assim, a
reentrada destes trabalhadores no mercado de trabalho.


 


Estudantes
estrangeiros são já uma fonte importante de talento na região Porto e Norte


As empresas da amostragem contrataram cerca de 11% de estrangeiros,
de mais de 40 nacionalidades, sendo um fenómeno claramente em crescimento.


Os alunos estrangeiros a frequentar o Ensino Superior em Portugal
representam já cerca de 10% do universo estudantil. Só nas entidades de ensino
superior incluídas no estudo, foram identificados mais de 10.000 alunos
estrangeiros, em ensino regular e de mobilidade.


Estes estudantes são considerados como uma excelente oportunidade
para a região, aumentando a procura nos estabelecimentos de ensino superior e
disponibilizando recursos humanos qualificados nativos em várias línguas,
determinantes para os centros de serviços internacionais, bem como para apoiar
o crescimento de empresas nacionais de vocação global.


O documento revela que esse crescimento resulta da excelente
promoção que as entidades de ensino superior têm realizado internacionalmente,
bem como da atratividade de Portugal como destino para viver, estudar e
trabalhar.


De referir ainda que 70% das empresas recrutaram recentemente
portugueses emigrados qualificados, que assim voltam à região.


Com este estudo, a Câmara do Porto pretende promover condições de
atratividade e sustentabilidade do talento para empresas internacionais e
locais, e a existência e adequação de recursos humanos qualificados, envolvendo
os vários stakeholders regionais.


Os dados do estudo estarão brevemente disponíveis na plataforma da Invest Porto