Ambiente

Câmara do Porto oferece 3 mil árvores e plantas aos jardins privados da cidade

  • Porto.

  • Notícia

    Notícia

#fib_Entrega_Arvores_Viveiro_14.jpg

Porto.

Está de regresso a iniciativa "Se tem um jardim, temos uma árvore para si", através da qual a Câmara do Porto vai oferecer 3 mil árvores e arbustos da flora portuguesa para os jardins e quintais dos portuenses. As candidaturas abrem hoje, dia 26 de março.

Nesta 4.ª edição vão ser distribuídas 2.900 árvores e arbustos de nove espécies, nomeadamente: bétulas, ciprestes, gilbardeiras, jasmineiros-do-monte, lódãos, macieiras-brava, medronheiros, pilriteiros e teixos. Para que a escolha dos candidatos seja de acordo com as características do seu jardim e gostos, toda a informação relevante encontra-se disponível para consulta aqui, onde, após a leitura recomendada das condições de participação, é possível submeter o pedido, após preenchimento da ficha de candidatura, até ao dia 30 de abril.

Para ter a oportunidade de receber, gratuitamente, árvores e arbustos nativos, os requisitos são simples: ser residente no Porto ou constituir uma organização com jardins ou quintais privados dentro da cidade.

O programa "Se tem um jardim, temos uma árvore para si" faz parte do projeto FUN Porto – Florestas Urbanas Nativas no Porto – e germinou em 2016. Nas três edições já realizadas foram oferecidas e plantadas 6 mil árvores e arbustos nos jardins e quintais privados da cidade. Esta iniciativa é o resultado de um esforço contínuo por parte do Município do Porto na implementação da sua estratégia ambiental e de contributo para a mitigação e adaptação às alterações climáticas.

As 6 mil árvores já oferecidas vão contribuir, quando adultas, para armazenar 20 toneladas de carbono por ano, removendo-o da atmosfera. Ao mesmo tempo, as suas folhas, ramos e troncos retêm outros poluentes e as suas raízes regulam a água no solo. Apenas com estes três serviços ecológicos oferecem à cidade um valor económico de cerca de 50 mil euros por ano.

Os jardins e quintais do Porto representam 7,8% da área total do território concelhio pelo que são fundamentais para aumentar a quantidade e qualidade da cobertura verde da cidade e promover a biodiversidade. Nas últimas edições foram beneficiados com plantas mais de mil jardins e quintais privados, que cumpriam os critérios de participação.

Recorde-se que no plano de revisão do novo PDM, que se encontra já na sua fase final, no eixo referente ao ambiente, a Câmara do Porto pretende incentivar os proprietários à abertura dos seus jardins privados para usufruto público, através de benefícios fiscais.