Política

Câmara do Porto entre os finalistas dos Prémios Human Resources 2021

  • Isabel Moreira da Silva

  • Notícia

    Notícia

#mno_camara_09.jpg

A Câmara do Porto está entre os finalistas dos Prémios Human Resources 2021, na categoria de melhor empresa pública ou do setor público estatal, com melhor performance ao nível da gestão de pessoas. As votações decorrem até ao dia 25 de maio.

É mais um reconhecimento ao nível das políticas internas de gestão de pessoas do Município do Porto, que integra o restrito grupo de oito nomeados para melhor empresa pública e/ou do setor público estatal dos Prémios Human Resources 2021. Na mesma categoria, a par de outras cinco instituições públicas, só mais duas autarquias, Lisboa e Cascais, alinham-se na corrida que o Porto quer vencer.

Com grande tradição em Portugal, os Prémios Human Resources são organizados pela Revista Human Resources. As votações estão abertas e o público pode dar o seu veredicto em cada uma das 28 categorias a concurso.

Tendo por base as boas práticas, iniciativas e políticas de gestão de pessoas das empresas em Portugal, a redação da Human Resources elaborou uma lista de pré-nomeados, que depois foi analisada e votada por um grupo de conselheiros que escolheu os finalistas.

Política de gestão de pessoas do Município do Porto

O leque de projetos e iniciativas de políticas internas de gestão de pessoas do Município do Porto abre-se às vertentes da formação, valorização interna, evolução profissional, saúde e qualidade de vida dos trabalhadores municipais, e estende o tapete aos candidatos que manifestam a intenção de fazer parte de uma casa que integra mais de 3.000 pessoas.

Ora comecemos então de fora para dentro. Numa ótica de proximidade, agilidade e melhoria da experiência aos candidatos, a Câmara do Porto iniciou a virtualização do processo de recrutamento e seleção, com a implementação de uma plataforma eletrónica em janeiro de 2020. Volvido um ano, a autarquia está em condições de realizar grande parte dos seus processos 100% online, das provas de conhecimento à avaliação psicológica e culminando nas entrevistas.

Esta aproximação ao exterior também se repercute na relação mais estreita às universidades e escolas profissionais, com a entrada em ação um programa de estágios, que permite aos recém-licenciados uma primeira integração na vida profissional.

Dentro de portas, destaque para o desenvolvimento, nos últimos anos, de um programa de formação de integração e nivelamento de competências, com o intuito de garantir o sucesso dos trabalhadores num período crítico de entrada ou de mobilidade no município. Esse investimento também se observa nos percursos formativos por carreiras, que contempla, além das áreas de especialização, competências que o Município do Porto considera críticas, nomeadamente inovação e melhoria contínua.

Nesta senda, foi lançado um programa de liderança dirigido às chefias, que visa o desenvolvimento de uma liderança humanizada, próxima e focada no desenvolvimento e motivação dos trabalhadores. Incluiu o desenvolvimento e apresentação de um modelo de liderança colaborativa.

Por outro lado, a Câmara do Porto investiu num programa de bem-estar da saúde, no contexto profissional. Desenvolveu um programa de mobilidade interna, apoiando o desenvolvimento dos trabalhadores e o seu reenquadramento face às competências e motivações demonstradas. Criou uma metodologia comum de facilitação e otimização de gestão das equipas, assente numa plataforma colaborativa de comunicação. E, entre outras ações, lançou um novo aplicativo de avaliação de desempenho, que permite o acompanhamento e interação permanente entre avaliador e avaliado, uma maior transparência e proximidade ao longo de todo o processo.

Iniciativas e projetos que influenciaram a atribuição da Norma 4452 – Norma de Conciliação entre a Vida Profissional, Familiar e Pessoal. Esta certificação e reconhecimento externo ainda só está ao alcance de um grupo restrito de autarquias a nível nacional.

EvitaCovid

O Município do Porto foi um dos primeiros a dispor, no início de março do ano passado, de um plano de contingência que abrange as medidas de atuação em caso suspeito de Covid-19 e as medidas de prevenção e contenção do contágio imediatamente implementadas.

Todas as medidas de segurança, saúde e higiene no trabalho preconizadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) estão acionadas em todos os edifícios municipais e outros locais de trabalho, tendo a Câmara implementado um conjunto de outras medidas complementares, que considerou adequadas para proteção e segurança dos trabalhadores.

Foram estabelecidas escalas de rotatividade entre trabalho presencial e teletrabalho, possibilidade de horários diferenciados, jornadas contínuas e turnos, organização dos espaços de trabalho de forma garantir as regras definidas pela DGS, limpeza e desinfeção dos espaços, equipamentos e superfícies, definição de rotinas de circulação, sinaléticas, atendimento por marcação, entre muitas outras.

A todos os trabalhadores foram disponibilizados os equipamentos de proteção individual adequados às funções, bem como soluções assépticas para todos os locais de trabalho, onde, à entrada, é feita a medição de temperatura corporal.

Foi criada ainda uma linha específica de enfermagem, sendo efetuado todo o acompanhamento da situação clinica tanto dos casos confirmados como nos casos suspeitos. De igual modo, a medicina do trabalho efetua o acompanhamento e dá apoio dos trabalhadores com suspeita de contágio ou após confirmação de doença por SARS-CoV-2.

O Município do Porto tem igualmente investido na promoção da saúde mental dos trabalhadores, disponibilizando consultas gratuitas para o acompanhamento psicológico individual, a pedido do próprio trabalhador ou via médico da medicina no trabalho.