Cultura

Câmara do Porto cria prémio Paulo Cunha e Silva

A Câmara do Porto vai criar o Prémio Internacional de Artes Visuais Paulo Cunha e Silva, sendo a proposta apresentada ao Executivo Municipal por Rui Moreira, na próxima terça-feira. O prémio,
que visa coproduzir e apoiar a exposição inédita de um artista com 25 mil euros
doados pela Fundação Millennium, vem complementar um outro programa municipal
lançado recentemente, na área do apoio à criação, designado "Criatório".


Podem candidatar-se ao
prémio artistas com menos de 40 anos que tenham, "no máximo, uma exposição
individual numa instituição ou espaço de relevo internacional". Segundo o
documento que deverá ser aprovado, o painel de peritos do galardão que recebe o
nome do vereador da Cultura que morreu em 2015 "é constituído por João Laia,
Julião Sarmento, Meg Stuart e Vicent Todolí".


O vencedor do prémio receberá
um montante de 25 mil euros que deverá gerir com vista à produção de uma
exposição inédita a ser apresentada na Galeria Municipal do Porto no ano
subsequente, nos termos de contrato de concessão de apoio a celebrar entre as
partes.


A Câmara do Porto entende
poder ter um papel relevante na evolução e redefinição dos discursos artísticos
contemporâneos, vendo a cultura contemporânea como um dos pilares da sua
estratégia e um fator de desenvolvimento da cidade.


A criação deste prémio tinha sido anunciada em março de 2013 por Rui Moreira e é agora concretizada.