Cultura

Black Bombaim mostram em fevereiro novo trabalho criativo com Luís Fernandes

O novo momento criativo do trabalho que esta banda de rock psicadélico/cósmico/exploratório tem em curso faz-se em finais de fevereiro com o músico e curador Luís Fernandes, fundador dos Peixe : Avião, e tem o apoio do programa municipal para a criação contemporânea Criatório.  

O processo de criação que irá resultar no novo disco dos Black Bombaim, a ser editado pela Lovers & Lollypops, envolve três músicos e produtores nacionais num ciclo de residências artísticas que reinventa o processo criativo da banda.

Depois de o resultado da primeira residência artística - com Pedro Augusto (músico e compositor nos projectos Ghuna X e Live Low) - ter sido revelado a 16 de dezembro passado, o segundo momento chega entre 22 e 24 de fevereiro. O trio nortenho dará então a conhecer a fase do trabalho que o junta ao universo eletrónico de Luís Fernandes, músico associado a coletivos como Peixe : Avião, Quest, La La La Ressonance ou Harmonies. O encontro volta a questionar e desafiar o espaço sonoro conquistado pela banda, que aqui se desprende da composição, entregando-a a um novo produtor com linguagens e espaços musicais diferentes.

Sobre o desafio lançado pelos Black Bombaim, Luís Fernandes esclarece que "a ideia subjacente ao trabalho passa por transportar o som dos Black Bombaim, literalmente, para um domínio autorreferencial no qual este é usado como matéria-prima para esculpir uma nova música. Uma meta-música inspirada nas metodologias e técnicas da música eletroacústica". O músico acrescenta que "o principal desafio será fazê-lo mantendo presente a identidade da banda, criando pontes para todos os elementos sonoros e musicais que, a meu ver, a tornam tão especial e interessante".

À semelhança do que aconteceu com o primeiro episódio, a residência culminará com uma apresentação pública do trabalho, em formato ensaio aberto, a 24 de fevereiro no Palácio dos Correios, com entrada livre mas limitada a 80 pessoas.

Este projeto dos Black Bombaim, cuja terceira fase é com Jonathan Saldanha (HHY & The Macumbas) em abril, integrará ainda a edição de um documentário com realização de Miguel Filgueiras e argumento de Manuel Neto.

Para o processo criativo, os Black Bombaim contam com o financiamento do programa Criatório, uma iniciativa lançada pela Câmara do Porto com o objetivo de apoiar a criação artística contemporânea, que vai já na segunda edição e que está a aceitar candidaturas até 13 de março próximo.