Cultura

Biblioteca do Marquês volta a ter livros

  • Porto.

  • Notícia

    Notícia

mno_biblioteca_Pedro_Ivo_01.jpg

Porto.

E se recuasse no tempo e a Biblioteca Popular de Pedro Ivo voltasse a ser uma verdadeira biblioteca? Até 12 de setembro, no âmbito da programação da Feira do Livro do Porto, esta volta a ser uma realidade. O projeto é dinamizado pelo Museu da Cidade, que presta homenagem à antiga função daquele espaço e ao seu autor, Pedro Ivo.

O interior de um espaço emblemático, inaugurado em janeiro de 1948, volta a receber um conjunto de publicações (e fotografias) durante o período da Feira do Livro do Porto. A Biblioteca do Marquês tornou-se, também, um dos espaços que integra a programação do certame livreiro, fazendo uma homenagem a Pedro Ivo e disponibilizando os volumes e títulos que estavam presentes nos anteriores períodos.

Para além desta panóplia de títulos, o Museu da Cidade expõe ainda uma pequena mostra que deriva da pesquisa documental, fotográfica e literária que tem vindo a realizar juntamente com os herdeiros do escritor.

Um trabalho que procura dar a conhecer mais sobre este homem e artista, e revelando, entre a intimidade e o trabalho intelectual, a rede que une Pedro Ivo a outros autores e à cidade do Porto, passando pela figura central da Feira do Livro deste ano: Júlio Dinis.

A biblioteca pode ser visitada, de segunda a sábado, das 10 às 18 horas.

Quem foi Pedro Ivo

Pedro Ivo foi um autor da cidade do Porto, que caiu no esquecimento de muitos leitores. Foi um exímio contador de histórias, cujo verdadeiro nome era Carlos Lopes. Nasceu em 1849 e faleceu em 1906. Estudou na Alemanha, viveu no Brasil e dedicou-se à carreira comercial.

Foi diretor bancário e presidente da Real Companhia dos Caminhos de Ferro. Estreou-se, em 1874, com o livro "Contos", a que se seguiram o romance "O Selo da Roda" (1876), e "Serões de Inverno" (1880). Foi publicado "O Limbo de Pedro Ivo", contendo inéditos e a biografia do autor. Nenhum dos seus títulos está, de momento, no mercado.

Na cidade do Porto dedicaram-lhe uma rua, situada em Paranhos, além da “pequena biblioteca ao ar livre”, que está ainda bem presente (na memória e nos passeios diários por quem lá passa) no coração do Jardim Praça do Marquês de Pombal.

Consulte toda a programação da Feira do Livro do Porto aqui.