Sociedade

Aproveite o fim de semana em total segurança com propostas de cultura e lazer

Miguel Nogueira

Conversas e exposições na Galeria Municipal do Porto, passeios pelas zonas pedonais temporárias, atividades gratuitas de exercício físico e sessões de teatro estão no centro das sugestões para este fim de semana, sempre seguindo o rigoroso cumprimento das medidas preventivas.

O atual contexto pandémico requer contenção e o cumprimento escrupuloso de todas as medidas preventivas emanadas pelas autoridades de saúde. É nessa ótica que o "Porto." reúne algumas propostas que privilegiam atividades culturais e de lazer- sempre em segurança e em conformidade com os planos de contingência estabelecidos em cada um dos locais - para que possa fruir destes dois dias, seja ao ar livre ou ao abrigo de alguns espaços da cidade.

Aproveitando o amplo espaço que a Galeria Municipal do Porto tem para oferecer, a primeira sugestão passa por, se ainda não teve oportunidade, visitar a exposição que reúne obras dos seis finalistas da 2.ª edição do Prémio Paulo Cunha e Silva.

Com horário compreendido entre as 10 e as 18 horas, de forma a garantir a segurança e bem-estar dos visitantes, o espaço reúne um conjunto de regras, nomeadamente a lotação máxima de 30 pessoas, o uso obrigatório de máscara, a higienização das mãos à entrada e o distanciamento físico de dois metros.

Ainda no mesmo âmbito, e já que se encontra no equipamento municipal, hoje pelas 16 horas, realiza-se uma conversa, no Auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett, entre Mariana Caló e Francisco Queimadela, os dois artistas vencedores da 1.ª edição desta iniciativa. A sessão conta ainda com a participação de Guilherme Blanc, diretor artístico da Galeria Municipal, e Luís Silva, diretor da KunsThalle Lissabon. É obrigatório o levantamento de bilhete gratuito durante este sábado (máximo de dois por pessoa) e a entrada está sujeita à lotação estipulada da sala.

Devido às previsões meteorológicas instáveis previstas para este fim de semana, as habituais propostas de animação e desporto realizadas no âmbito das zonas pedonais temporárias, em cinco arruamentos da cidade, foram canceladas.
Contudo, se o tempo assim o permitir, a iniciativa municipal é a sugestão ideal para sair à rua e circular livremente por estas áreas provisórias dedicadas ao resgate do espaço público, que continuam a estar preenchidas por mobiliário urbano e a privilegiar o uso dos modos suaves como a bicicleta e a trotinete. 

Prolongada até ao final do ano, a medida permite desfrutar de uma experiência de lazer e compras pelas ruas da Baixa, entre as 8 horas de sábado e as 20 horas de domingo, não descurando o cumprimento do distanciamento físico e o uso de máscara.

Também neste sábado de manhã, pode entrar no fim de semana da melhor maneira com as aulas de exercício físico gratuitas do Dias com Energia, que entre as 9,30 e as 11 horas convidam a frequentar aulas de pilates, ioga e tai-chi em quatro pavilhões da rede municipal: o Ginásio da Escola Fontes Pereira de Melo, o Pavilhão do Lagarteiro, o Pavilhão da Escola EB 2/3 Nicolau Nasoni e o Pavilhão da Escola EB 2/3 do Viso.

Já amanhã, e no mesmo registo, o programa municipal Domingos em Forma proporciona, entre as 10 e as 11 horas, uma sessão de aquecimento no Pavilhão do Lagarteiro, seguindo-se uma caminhada pelos percursos do Parque Oriental da Cidade do Porto. Todas as aulas são gratuitas, mas de forma a garantir o distanciamento físico a inscrição antecipada é obrigatória, sendo que o número de vagas é limitado e varia consoante o local.

Se optar por um concerto ao final do dia a céu aberto, a música está de regresso ao Quintal da Porta-Jazz. Hoje, pelas 19 horas, o espaço exterior da associação de músicos do Porto acolhe a estreia do projeto Quang Ny Lys, composto por Rita Maria na voz, João Mortágua no saxofone e Mané Fernandes na guitarra elétrica.

Explorando aquilo que os une numa nova luz sobre vários ângulos, o projeto baseia-se na experimentação do jazz, património imaterial que estes três músicos têm em comum na sua formação. As reservas devem ser feitas até às 17,30 horas deste sábado e os bilhetes têm o custo de 5 euros.

Na Casa do Cinema Manoel de Oliveira, em Serralves, está patente a exposição "Manoel de Oliveira Fotógrafo". A mostra dá a conhecer uma faceta incógnita do prestigiado realizador portuense com mais de 100 fotografias inéditas reveladas agora pela Fundação. Captadas entre os finais de 1930 e meados dos anos de 1950, as imagens serviram como instrumento de pesquisa e experimentação para os filmes do encenador.

Ao fim de semana pode visitar a exposição entre as 10 e as 19 horas e o bilhete tem o custo de 12 euros.

Por fim, até ao dia de amanhã, está em cena no Teatro Carlos Alberto o espetáculo "Folle Époque", uma estreia do coletivo SillySeason nos espaços no Teatro Nacional São João, que aborda "os loucos anos 20" em contraposição com os atuais e incertos anos 2020 que vivemos.

Uma reflexão que coloca em perspetiva duas épocas separadas pelo centenário, num espetáculo que se constrói entre a "realidade-real" e a "realidade-ficção". Um jogo de reduplicação em espelho dos conflitos ético-morais da pós-modernidade, que questiona como serão os novos anos 20. Há uma sessão marcada para hoje, pelas 19 horas, e outra amanhã, às 16 horas. Os bilhetes têm um custo de 10 euros.