Ambiente

Aprenda a evitar o desperdício alimentar a partir de casa

  • Notícia

    Notícia

Filipa Brito

Fruto das circunstâncias, que ditam o regresso do dever de recolhimento domiciliário a partir de sexta-feira, dia 15, são feitas mais refeições em casa. É natural que por vezes alguns alimentos que temos no frigorífico ultrapassem o prazo de validade sem que nos apercebamos, ou que as sobras do almoço ou do jantar do dia anterior acabem por ir parar ao lixo.

Mas, no mais recente episódio da série “Atelier da boa vida”, levado a cabo pela equipa de Educação Ambiental da Câmara do Porto, é lançado o desafio de “tirar o desperdício” das nossas vidas e adotar comportamentos mais conscientes no dia a dia. Através de soluções simples, é possível evitar desperdiçar alimentos, ao mesmo tempo que se poupa dinheiro.

Em média, cada um de nós é responsável por cerca de 513 quilos de lixo produzido em casa por ano, sendo que desta quantidade 100 quilos dizem respeito a desperdício de comida.

E mais: se cada família portuguesa deitar fora uma laranja por semana, ao final de um ano serão desperdiçadas cerca de 20.000 toneladas de alimento – um exemplo hipotético apresentado no novo vídeo da equipa do Ambiente, mas que nos desperta para o impacto e consequências que tal ato representa para as pessoas com carência alimentar e nos recursos naturais que são desaproveitados.

Desta forma, e tendo em conta que, por mais que haja uma consciencialização para esta realidade, é inevitável acabar por ceder a alguns desperdícios no lar, o episódio deixa várias dicas para pôr em prática diariamente.

Uma delas é optar por comprar alimentos vendidos a granel, podendo controlar assim a quantidade necessária e desejada, uma vez que a comida embalada acaba por vir em maior quantidade e, depois de aberta, não dura muito tempo.

Outra dica passa por saber interpretar os prazos de validade dos alimentos. Quando os rótulos referem “consumir de preferência até”, isso significa que o alimento pode ser consumido, sem risco, após o período assinalado sem risco. A expressão é meramente indicativa da data de durabilidade mínima.

Planear as refeições, praticar a culinária criativa de forma a aproveitar os alimentos, levar uma lista preparada quando vamos ao supermercado para evitar compras impulsivas, ou arrumar os produtos de acordo com a sua durabilidade são também formas de ajudar a reduzir os gastos desnecessários de comida.

Para ficar a par de mais estratégias e contribuir assim para a diminuição do desperdício a partir de casa, assista ao vídeo completo.

Para descobrir os restantes vídeos protagonizados pela equipa de Educação Ambiental da Câmara do Porto aceda ao YouTube do portal Porto. ou siga as hashtags #debinoculosnosofa, #historiascomambientedentro, #biodiversidadeemcasa e #atelierdaboavida.