Sociedade

Animação de acesso livre celebra os 25 anos da Exposição das Camélias

Filipa Brito

A Exposição de Camélias do Porto atinge neste ano a sua 25.ª edição, mantendo a tradição de celebrar a flor da cidade. O evento tem lugar na Alfândega do Porto já no próximo fim de semana, dias 7 e 8 de março, e conta com um vasto programa de atividades cujo acesso é livre.

A exposição, que tem abertura marcada para as 14,30 horas de sábado, dia 7, volta a premiar a "Melhor Camélia", a "Melhor Camélia de Origem Portuguesa" e a "Melhor Ornamentação de Mesa", num concurso que tem como jurados alguns dos elementos que integraram a organização da primeira edição, em 1984. Os vencedores serão revelados, como habitualmente, logo após a abertura da exposição, numa cerimónia agendada para as 15,30 horas.

Além do tradicional mercado de camélias, o programa paralelo do evento inclui diversas propostas de acesso livre e dirigidas a todas as idades, entre dança, teatro, música, exposições e várias oficinas. A par da Alfândega, que recebe a Exposição de Camélias pela primeira vez, as atividades estendem-se a outros espaços da cidade, como a Igreja da Misericórdia, o Parque de São Roque, as estações de Metro e várias ruas da Baixa.

Nos dois dias que antecedem a exposição, quinta e sexta-feira, várias personagens andam a percorrer as ruas e estações de Metro da Baixa, apresentando ali performances itinerantes e alusivas ao evento. Na sexta-feira à noite, a Igreja da Misericórdia do Porto acolhe o concerto comemorativo dos 25 anos da exposição pelo Ensemble Vocal Pro Musica.

Iniciativa conjunta do Município do Porto e da Associação Portuguesa de Camélias, Exposição de Camélias do Porto cumpre assim a tradição de celebrar a flor que a cidade adotou há cerca de 200 anos. Terá sido, aliás, a partir do Porto que esta vistosa flor - com origem no sudeste asiático, em países como a China, o Japão e o Vietname - se expandiu por todo o Norte de Portugal e também pela Galiza.

Com uma riquíssima tradição de cultivo e criação de inúmeras variedades reconhecidas internacionalmente, o Porto é a Cidade das Camélias por excelência, numa ligação que tem vindo a ser renovada a cada inverno, aproveitando a época em que as camélias florescem e espalham o seu encanto pelos muitos jardins da Invicta.

Flores sem cheiro, mas de uma perfeição inigualável, as camélias são hoje um património natural e cultural de que o Porto se orgulha e que a autarquia faz questão de celebrar anualmente com a exposição e concurso, que reúnem alguns dos mais belos exemplares.

Organizada pela primeira vez em 1984, no Mercado Ferreira Borges, a Exposição de Camélias do Porto percorreu já vários espaços da cidade ao longo deste quarto de século, como a Biblioteca Municipal Almeida Garrett, a própria Câmara Municipal do Porto, o Mosteiro de São Bento da Vitória, a Casa de Serralves, o Palácio da Bolsa ou a Estação de Metro de São Bento.

Consulte ou descarregue o Programa Completo.