Mobilidade

Alterações de trânsito na zona da Ribeira finalizam na próxima terça-feira

Com o objetivo de melhorar a mobilidade e a fluidez do trânsito na zona histórica do Porto, causando impacto positivo um pouco por toda a cidade, a Câmara do Porto vai concluir, no dia 30 de abril, a alteração de sentidos que já começou a implementar neste mês.

A partir da próxima terça-feira, a Rua de Ferreira Borges inverte o atual sentido, passando a ser ascendente, e a Rua de Belomonte passa a ter um único sentido de trânsito de nascente para poente, no troço compreendido entre a Rua de Ferreira Borges e a Rua das Taipas (ou seja, a circulação automóvel far-se-á da zona da Ribeira em direção aos Clérigos).

Estas alterações, a par das que já estão implementadas de inversão de sentido da Rua de S. João e da permissão de viragem da rua Mouzinho da Silveira em direção ao Túnel da Ribeira, permitirão uma melhor organização de todos os percursos rodoviários e pedonais.

Por esta via, poderão separar-se os fluxos de ligação da cota baixa ribeirinha à zona da Cordoaria e dos Clérigos, através da Rua de Ferreira Borges, Rua de Belomonte e Rua das Taipas; e de ligação à zona dos Aliados e Sé, através das ruas de S. João e de Mouzinho da Silveira.

A par com estas alterações, será definitivamente cortado o trânsito a veículos não autorizados na via que atravessa o Largo de S. Domingos, passando esta zona a responder mais eficientemente à grande afluência de peões.

Também os autocarros em serviço ocasional que pretendem aceder à zona histórica, poderão fazê-lo à cota baixa, servindo-se do Parque da Alfândega para estacionamento e ponto de embarque e desembarque de passageiros; ficando impedida a ligação por este tipo de veículos à cota alta através das ruas de Mouzinho da Silveira, de Ferreira Borges e de S. João.

Pretende-se desta forma que a convivência entre os vários modos de transporte e as pessoas que circulam a pé, se faça de modo mais organizado, seguro e confortável para todos, mitigando desta forma a pressão exercida sobre a zona histórica.

Estas alterações serão monitorizadas pela Direção Municipal da Mobilidade e Transportes e pela Polícia Municipal, de modo a permitir que a adaptação às novas posturas de trânsito se faça o mais naturalmente possível.