Sociedade

A CDU afirma ser a favor do estacionamento pago na cidade do Porto

O vereador da CDU, Pedro Carvalho, admitiu hoje que o seu partido é a favor do estacionamento pago no Porto, afirmando mesmo que "ninguém pode estar contra a utilização deste instrumento". O autarca comunista falava na reunião de Câmara desta manhã e respondia ao vereador Ricardo Valente, eleito pela coligação Porto Forte, liderada pelo PSD. Pedro Carvalho votou, contudo, contra a proposta de emitir um parecer favorável à existência de um fiscal equiparado a agente público por cada parcómetro na cidade do Porto.

Apesar de não estar em causa a discussão da concessão de estacionamento, contra a qual a CDU se tem manifestado, o vereador quis voltar a discutir a questão, mas admitiu que o seu partido é a favor da existência de estacionamento pago à superfície. Para o comunista, os fiscais deveriam, contudo, ser contratados pela Câmara e não estarem a cargo de privados.

O presidente da Câmara, Rui Moreira, disse compreender a opção ideológica do comunista, mas evocou os números e a disponibilidade actual de lugares de estacionamento no Porto. Manuel Pizarro, do PS, lembrou que em Matosinhos foi o vereador da CDU a propor um sistema concessionado, em tudo idêntico ao do Porto. Sobre essa matéria, Pedro Carvalho disse nada ter a ver com a CDU de Matosinhos, não sustentando, porque razão naquela cidade vizinha os comunistas têm uma posição diferente. Já Ricardo Valente, vereador da área económica, recordou que em Lisboa, também com o voto favorável da CDU, o estacionamento foi alargado a toda a cidade. Perguntou diretamente a Pedro Carvalho se concorda com a existência de parcómetros e com o pagamento do estacionamento e este disse que sim.

A vereadora da Mobilidade, Cristina Pimentel voltou a recordar que as zonas de estacionamento pago e o número de lugares para moradores se manteve neste mandato e que nada têm a ver com a concessão. A autarca lembrou que as zonas foram definidas em 2012, antes da tomada de posse do actual executivo e que a actual vereação baixou o valor das avenças para moradores, que agora é de 25 euros.

No final da reunião, Rui Moreira confirmou aos jornalistas que até ao final do mandato as zonas não serão alteradas, mas admitiu que este será um bom tema para ser discutido nas próximas eleições autárquicas.