Cultura

150 anos de Raul Brandão celebram-se com concerto na Biblioteca Municipal

A Biblioteca Pública Municipal do Porto apresenta ao final da tarde do próximo domingo o concerto comemorativo dos 150 anos do nascimento de Raul Brandão, com música de Jorge Peixinho e outros compositores e interpretação do Grupo de Música Contemporânea de Lisboa (GMCL).

O concerto, de acesso livre e que esteve inicialmente previsto para o Forte de São João da Foz, acontece assim no local onde está patente um dos polos da exposição que recorda a vida e obra de um dos escritores portuenses mais ilustres.

Com início às 18,30 horas, o programa tem condução do maestro Christopher Bochmann e peças de Jorge Peixinho, Clotilde Rosa e Fernando Lapa, com interpretações de Susana Teixeira (voz), Ana Castanhito (harpa), João Pereira Coutinho (flauta), José Sá Machado (violino), Luís Gomes Violeta e Ricardo Mateus (clarinetes), Fátima Juvandes (percussão), Jorge Sá Machado (violoncelo) e Joana Gama (piano).

O GMCL foi fundado em 1970 por Jorge Peixinho com a colaboração de músicos portugueses que trabalhavam já em conjunto para a realização de concertos na Fundação Calouste Gulbenkian. Apresentou-se nos principais festivais de música e salas de espetáculos do país, bem como no estrangeiro, e a sua discografia inclui obras de Jorge Peixinho dirigidas pelo próprio compositor e por outros maestros, bem como obras de outros compositores portugueses.

Este concerto é mais um dos pontos altos do programa que celebra os 150 anos do nascimento de Raul Brandão e que, entre outras iniciativas já realizadas pela cidade, contempla uma exposição em dois polos na Biblioteca Pública Municipal do Porto e na Casa-Museu Guerra Junqueiro, comissariada pelo especialista brandoniano Vasco Rosa.

A exposição foi inaugurada em março (mês do nascimento de Raul Brandão) e prolonga-se até 30 de setembro, mês em que o autor será também homenageado na Feira do Livro do Porto. Nos dois polos, é abordada a biografia de Brandão e a sua obra literária, sendo também exibidos pela primeira vez na cidade os trabalhos pictóricos ligados à sua produção literária, além de serem revelados pormenores dos bastidores do filme que Manoel de Oliveira lhe dedicou, em 2012, adaptado de "O Gebo e a Sombra".

Entretanto, foram também já realizadas iniciativas com a comunidade académica, com vista à reflexão crítica sobre a obra do escritor, foi promovido um percurso pedestre pelas ruas da zona da Foz, onde viveu, e realizada uma conferência sobre "Os Pescadores" por João Sousa Cardoso. Foi ainda reeditada a versão castelhana do seu livro "Húmus", com a chancela "Porto.", e promovido ao longo do ano letivo um programa junto das escolas da cidade, que culminou com uma exposição de trabalhos infantis acerca de "Portugal Pequenino", que Raul Brandão e Maria Angelina, sua mulher, dedicaram aos mais pequenos.