Desporto

10,5 milhões de euros reservados para seis projetos de ampliação do parque desportivo

  • Notícia

    Notícia

João Queirós

O Município do Porto quer ampliar o parque desportivo da cidade durante o próximo ano. Na forja, há seis novos projetos: a ampliação do Parque Desportivo de Ramalde/INATEL e do recinto do Skate Park, a construção de dois novos campos municipais (Outeiro e Justino Teixeira) e de um edifício de apoio à área desportiva no Parque da Cidade, e a instalação de equipamentos desportivos em jardins e espaços verdes. O investimento global estimado ascende aos 10,5 milhões de euros.

Os montantes de investimento são, nesta fase, uma estimativa próxima, considerando que a autarquia tem ainda projetos em fase de desenvolvimento, que poderão implicar uma alteração de custos em fase posterior.

No entanto, é inequívoco que os números que o Município do Porto apresenta são redondos e os mais expressivos das duas últimas décadas, época em que os investimentos na ampliação de novas valências desportivas municipais praticamente cristalizaram no tempo.

Sucedendo à requalificação do antigo parque do INATEL, inaugurado na primavera de 2017, depois de um acordo histórico estabelecido entre a Câmara e a fundação no ano de 2015, a autarquia avança para a fase dois do projeto, expandindo o complexo para os terrenos adjacentes, de que o INATEL também é proprietário e que serão igualmente cedidos ao Município.

A empreitada deve iniciar no segundo semestre de 2021, assim que concluído o projeto de execução, que está em fase de desenvolvimento. O prazo de duração da obra está balizado entre os 12 e os 18 meses, para um investimento aproximado de 2,5 milhões de euros.

No mesmo parque desportivo vai avançar, em paralelo, o alargamento do Skate Park. A empreitada estará em condições de começar no segundo semestre de 2021 e, assim sendo, fica concluída até ao final do verão (o tempo estimado de obra são três meses). O investimento municipal ronda os 150 mil euros.

Dois novos campos municipais

Do lado da nova construção, há dois grandes projetos na calha: o Campo Municipal do Outeiro e o Campo Desportivo Municipal de Justino Teixeira.

O processo de aquisição de parcelas de terreno adjacentes necessárias ao futuro Campo Municipal do Outeiro está concluído, e de momento o Município ultima a fase de adjudicação, habilitação e submissão da empreitada ao Tribunal de Contas.

A primeira pedra da obra está, por isso, pronta a ser lançada durante o primeiro trimestre do próximo ano. Com prazo de construção em 18 meses, o novo campo municipal, localizado em Paranhos, corresponde a um investimento de 3,1 milhões de euros.

Quanto ao Campo Desportivo Municipal, em Justino Teixeira, na freguesia de Campanhã, tudo dependerá de quando o Estado entregar à Câmara o Porto o terreno, tal como prometido. Da parte da autarquia, mesmo ainda sem a posse efetiva do terreno mas com a palavra dada do Governo, o trabalho continua com o desenvolvimento de projeto.

Se tudo correr de acordo com o calendário previsto pelo Município, no final do próximo ano a obra estará em condições de arrancar. O custo estimado é de 3,5 milhões de euros.

Edifício de apoio à área desportiva do Parque da Cidade

A construção de novos balneários que vão servir o requalificado campo de futebol do Parque da Cidade avança durante o próximo ano. O projeto está concluído e o concurso público para a empreitada foi lançado no dia 23, através da empresa municipal GO Porto, tinha já dado nota recentemente a este respeito a vereadora da Juventude e Desporto, Catarina Araújo.

São cerca de 670 mil euros reservados, para balneários (de jogadores e árbitros), um posto médico, uma arrecadação de material desportivo e uma área para serviço de secretaria, entre outras valências.

Mini ginásios ao ar livre

Noutra vertente, a Câmara do Porto prepara também a instalação de equipamentos desportivos em 18 espaços verdes da cidade.

Os locais foram identificados com o apoio das várias Juntas de Freguesia e vão receber dois tipos de estrutura: equipamentos fitness ou bio saudáveis e circuitos de manutenção. A empreitada tem um preço base de 646 mil euros e, neste momento, o concurso público já concluiu o prazo de receção de propostas. Depois de avaliadas e apurado o vencedor, a montagem destes equipamentos nos diferentes espaços deverá prolongar-se por 180 dias (cerca de seis meses).