Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

U.Porto entre os melhores da European Innovation Academy
12-08-2019

A European Innovation Academy organizou mais um programa intensivo de aprendizagem em Portugal. Mais de 500 estudantes, de todo o globo, reuniram-se em Cascais para participarem em workshops, num verdadeiro trabalho em equipa para acelerar ideias de negócio.


Entre os 10 melhores estão ideias e projetos de estudantes da Universidade do Porto.

Daniel Cardoso, estudante da Faculdade de Direito da U.Porto (FDUP), ajudou a pensar o modelo de negócio para a GroupPay, uma app para pagamentos em grupo que permite fixar o montante de despesa pretendido e cada elemento pagar a sua parte através de um cartão virtual. Esse cartão é usado num pagamento único.

"Já chega de relembrar amigos para nos pagarem de volta ou de esperar, numa fila, a nossa vez de pagar", explica Daniel Cardoso que considerou esta participação na EIA 2019 "uma experiência muito desafiante".

"O que percebemos ao longo das três semanas é que temos de confiar no trabalho de quem está connosco se quisermos chegar longe. Para concluir um puzzle não basta destreza e orientação. Precisamos das peças todas e uma equipa é fundamental para o sucesso ou insucesso de uma startup", salienta o estudante.

Também da Universidade do Porto, mas estudante da Faculdade de Medicina Dentária da U.Porto (FMDUP), Rodrigo Valdoleiros afirma que "Cada elemento completava a equipa à sua maneira. Foi uma experiência muito enriquecedora que nos ajudou a conhecer melhor o verdadeiro processo porque os empreendedores passam nas startups".

A ideia que o seu grupo desenvolveu foi O Biotimix, um dispositivo que permite a criação de órgãos com recurso a impressões 3D e que diminui a taxa de rejeição.
"A nossa visão passa por tentar eliminar a lista de dadores. A impressão 3D será feita através das células dos pacientes, especialmente para se adequar, de forma natural, ao seu organismo. Queremos devolver a tecnologia de modo a facilitar a bioimpressão de tecidos 3D mais complexos", esclarece o estudante.

Outro dos contributos da U.Porto foi o SafeSeat, da equipa de Renata Zampollo, da Faculdade de Letras da U.Porto (FLUP). Trata-se de uma cadeira de criança para bicicletas equipada com um airbag instantâneo que abre em caso de queda.

A SafeSeat conquistou o direito a uma campanha de lançamento de produto e apoio num pedido provisório de patente.

Foram mais de 24 os estudantes da U.Porto que participaram na edição de 2019 desta Summer School internacional, com o apoio do Santander Universidades.
Estiveram representadas quase todas as faculdades da Universidade, sendo que os estudantes tiveram oportunidade de imergir no programa e aprender com especialistas de Silicon Valley, Berkeley, e até mesmo da gigante Google.