Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Investigadora da UP recebe financiamento da FLAD para estudar cancro
20-01-2020

Financiamento atribuído pela Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento vai permitir a Carolina Ruivo desenvolver o seu trabalho no prestigiado MD Anderson Cancer Center (EUA).


Investigadora do Instituto de Investigação e Inovação em Saúde (i3S) da Universidade do Porto foi distinguida com um financiamento da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) para estudar os tumores pancreáticos, no valor de 9 mil euros.

Carolina Ruivo, que frequenta o 4.º ano do doutoramento em Ciências Biomédicas do ICBAS, vai poder investigar, mais concretamente, a forma como as células tumorais comunicam entre si através de vesículas extracelulares chamadas exossomas, sendo eu a sua investigação vai ser desenvolvida no MD Anderson Cancer Center, no Texas (EUA).

O projeto que valeu à investigadora da UP este financiamento porta da FLAD, ntegra o trabalho de doutoramento que está a desenvolver no grupo Genetic Dynamics of Cancer Cells do i3S, que tem várias colaborações com o laboratório do investigador Raghu Kalluri, do MD Anderson Cancer Center.

"Queremos perceber a forma como a comunicação das células através dos exossomas ocorre no microambiente tumoral e como é que este processo afeta o comportamento das subpopulações de células cancerígenas e promove a progressão tumoral", explica Carolina Ruivo.

"Com uma técnica de microscopia (two photon laser scanning microscopy) que permite visualizar internalização de exossomas nestes modelos, conseguimos analisar a dinâmica da comunicação e perceber como estas subpopulações formam uma rede de comunicação entre si", refere a investigadora.

Para a jovem investigadora, o apoio da FLAD representa "uma grande oportunidade para aprender determinadas técnicas e depois implementá-las no meu laboratório. É também um reconhecimento do potencial e importância deste estudo, o que me deixa orgulhosa e com um sentimento de responsabilidade para dar o meu melhor", conclui.