Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Investigador do CIBIO-InBIO vence edição 2020 do European Early Career Conservation Award
02-07-2020
Ricardo Rocha foi premiado pelo seu contributo para a conservação da natureza e é o vencedor da edição 2020 do European Early Career Conservation Award, atribuído pela Society for Conservation Biology (SCB). Este prémio que reconhece o trabalho de jovens cientistas em prol da conservação da natureza.

O jovem investigador do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO), da Universidade do Porto, participou em vários estudos de relevo sobre as comunidades de morcegos da ilha de Madagáscar e conta com mais de 40 artigos publicados.

Ricardo Rocha desenvolve a sua pesquisa no campo da ecologia tropical, em paralelo com a realização de importantes trabalhos científicos sobre o efeito da fragmentação da floresta Amazónica nas populações de morcegos e da expansão agrícola nas comunidades de aves e morcegos da ilha de Madagáscar. Nesta região, o jovem cientista colaborou ainda na análise da eficácia das áreas protegidas do país no combate à desflorestação.

A sua pesquisa científica, centrada na promoção da diversidade na ciência e na conservação, levou-o a integrar o comité para a Igualdade, Diversidade e Inclusão da Society for Conservation Biology e a colaborar na implementação de uma rede de investigadores pertencentes a minorias raciais e étnicas na Universidade de Cambridge.

"Ter conseguido este prémio é sem sombra de dúvidas uma mais-valia para o meu futuro profissional, mas é também um reflexo que a ciência e a conservação da natureza em Portugal e na Europa podem ser mais diversas", refere Ricardo Rocha ao portal de notícias da UP.

O European Early Career Conservation Award é atribuído bianualmente desde 2016 pela secção europeia da SCB, e tem como objetivo reconhecer o trabalho de jovens cientistas no campo da conservação do património natural, por meio da investigação, da intervenção no terreno ou por meio da atuação política e educativa.

Este prémio procura, também, inspirar as novas gerações de investigadores na salvaguarda da biodiversidade e na minimização dos impactos das alterações globais.